Opinião

Coitadinho do Temer!

Coitadinho do Temer!

Coitadinho do Temer!

Mensagens publicitárias do PMDB vão apresentar Michel Temer como alguém contra quem “a perseguição ultrapassou todos os limites”.

Do Tijolaço, por Fernando Brito:


Lê-se na Folha que as mensagens publicitárias do PMDB, que irão ao ar a partir de hoje, vai apresentar Michel Temer como alguém contra quem “a perseguição ultrapassou todos os limites”.

Em um dos vídeos, ao qual a Folha teve acesso, não há citação nominal ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, mas um narrador afirma que houve uma “trama” para “derrubar” Temer e que ela foi “desmontada”.

E segue, claro, dizendo que tentaram derrubá-lo mas “O Brasil está de pé”.

Francamente, uma estratégia publicitária destas, apresentando um homem rejeitado por 95% da população como um “tadinho” injustiçado consegue ser pior do que a do PSDB quando se apresentou como um partido no divã, arrependido de seus erros, isso logo após as malas para Aécio.

E o pior, com o “mártir”, de viva voz, procurando apresentar-se como o herói vitorioso de uma guerra, pois a figura aparece, diz a Folha, para pregar:

“A verdade é libertadora e não só nos livra das injustiças como nos dá ainda mais mais força, vontade e coragem para seguir em frente. É isso que vamos fazer com muita convicção, porque agora é avançar”

Faltou só o folclórico deputado Carlos Marun e aquele tatuado de hena do Pará fazendo o “backing vocal” com coreografia: “tudo está no seu lugar, graças a Deus”. Pena que o Benito de Paula desautorizou o uso de sua velha música.

Tudo isso, claro, com  algumas referências que, a esta altura, só vão fazer algum sucesso no Facebook do Movimento Brasil Livre, pois Jair Bolsonaro, o neoliberal, não vai se associar ao moribundo: “Tiramos o país do vermelho“, diz o vídeo em uma referência à cor do PT”.

E a estratégia vai além da TV, como se viu ontem no discurso do empresário e  ex-sócio de Temer que disse que ele “venceu a guerra e aqui está, sobranceiro, ao nosso lado”, sob gritos de “viva a direita” e o “o Brasil está nos trilhos” gritados por uma plateia de vereadores e funcionários de Itu, lugar realmente apropriado para tal pretensão de grandeza.

O “low profile” que o bom senso recomendaria a Temer é deixado de lado pela pretensão que tem em se “cacifar” para um processo eleitoral onde ninguém quer tê-lo por perto – embora muitos queiram o poder da caneta e do dinheiro governista.

Como diz um amigo, um idiota só é completamente idiota quando se acha genial.


Deixe um Comentário!