Blog do Mailson Ramos

Como a quadrilha de Temer se mantém no poder?

Como a quadrilha de Temer se mantém no poder?

Como a quadrilha de Temer se mantém no poder?

Depois de duas denúncias, escândalos de corrupção, indícios os mais variados, revelações de delatores corroboradas com provas incontestáveis, Temer continua no Planalto.

O escândalo da JBS seria motivo suficiente para escorraçar Michel Temer e a sua quadrilha do Palácio do Planalto. Indícios, provas, denúncias de corrupção passiva e organização criminosa: o presidente ilegítimo não é somente um golpista; para se salvar, ele propõe espúrias negociatas; destrói direitos para atender a bancadas conservadoras do Congresso Nacional; troca favores por votos que representam a retirada de direitos constitucionais conquistados a duras penas pelo povo brasileiro.

Entretanto, Michel Temer continua no poder.

Eliseu Padilha e Moreira Franco, ministros do núcleo maciço do governo, também encalacrados na corrupção, se seguram em seus postos, distantes da Justiça e protegidos pelo foro privilegiado. Boa parte dos ministros de Temer tem processos criminais em trânsito no STF. A base aliada do governo no Congresso Nacional também não se salva. A perspectiva de manutenção do poder – ou a possibilidade de escapar da Justiça é o que move esta gente.

Para angariar o apoio do PSDB na votação da segunda denúncia, Temer interveio junto aos senadores governistas para devolverem o mandato a Aécio Neves. Agora, a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados se vê obrigada a votar contra a denúncia, salvando o presidente golpista e reforçando os laços que unem a quadrilha.

O que está em jogo não é a recuperação da economia (PIB teve retração de 0,38% em agosto); não é a criação de empregos formais (só o Rio de Janeiro tem um milhão de desempregados); a “luta contra a corrupção”, mote utilizado por quem se voltou contra o governo de Dilma Rousseff, conduziu ao poder uma súcia, bandidos engravatados, gente que mataria uma pessoa antes de ela delatar.

O povo brasileiro continua inerte. A corrupção sistêmica e a irrestrita criminalização da política por parte de setores do judiciário desenganaram boa parte da população que acreditava num futuro melhor; a descrença do brasileiro na política é espantosa, mas não menos do que a sua apatia. É desta inércia geral que se aproveita a quadrilha de Temer. O prejuízo da impopularidade nunca o incomodou. Não precisa do povo para retirar direitos do povo. Tem ao seu lado os estafetas do Congresso Nacional – salvo raríssimas exceções.

Ainda apoiado por setores da mídia, Temer se esconde sob a imagem do administrador responsável, do condutor das reformas estruturantes, do homem que dialoga com todos os setores da sociedade. Temer é na verdade o chefe de uma quadrilha que se estabeleceu no poder através de um golpe; impopular, vive acastelado, isolado, sancionando leis que só retiram direitos. Quer privatizar, reformar ( ou deformar), conceder aos seus os privilégios de não ser incomodado pela justiça.

O coletivo de canalhas também pode ser quadrilha.

2 Comentários

  • Prezado Mailson Ramos, não é nossa passividade nem só a falta de vergonha dos membros do congresso ou do judiciário que sustentam a quadrilha no poder. Seu apoio é do grande irmão do norte, o autor da ponte para o futuro da américa para os americanos (os do norte, excluído o México) que esses senhores não têm a menor vergonha de implementar. Estou lhe dizendo isso, mas muitos analistas também apregoam.

    • Caríssima Regina Maria, o seu comentário é um complemento oportuno ao artigo. A participação do Tio Sam no golpe é inquestionável, dada a submissão e o entreguismo deste governo fake. De novo as infiltrações do serviço secreto, as forças invisíveis, o olho e as garras da águia sobre as nossas riqueza. E desta vez com ânsias de nos destruir como nação.

Deixe um Comentário!