Blog do Mailson Ramos Política

Palocci incrimina Lula. E as provas?

Palocci entrega Lula. E as provas?

Palocci incrimina Lula. E as provas?

Como Delcídio Amaral, Palocci revela fatos que podem não passar de mentiras para se safar da prisão e ceder à caçada do juiz Sérgio Moro contra o ex-presidente Lula.

Há algum tempo, o ex-ministro Antônio Palocci decidiu contar tudo o que sabia. A antecipação das suas revelações provocou um frenesi no mercado; bancos, grandes grupos de comunicação e a nata do empresariado brasileiro sofreriam com o depoimento do petista. Antevendo este depoimento, TV Record fez uma matéria especial sobre a possibilidade de Palocci entregar Globo.

Mas o juiz Sérgio Moro rejeitou as informações que o ex-ministro forneceria como se vê aqui.

Ficou muito claro que a delação de Palocci somente seria válida se incriminasse o Lula. Pois foi o que aconteceu ontem (6). Antônio Palocci utilizou expressões de efeito como “pacto e sangue” para definir a aliança entre Lula e Odebrecht. Os bancos, os grandes grupos de comunicação, os grandes empresários não foram sequer citados. Palocci, como queria Moro, só incriminou o PT.

A mídia tradicional aproveitou o escarcéu para fazer desaparecer da agenda de notícias as malas do Geddel, ou pior do que isso, como fez O Globo, tratou de ligar as malas de dinheiro do “boca de jacaré” ao PT. O conglomerado que manipula informações no Brasil desde sempre foi mais longe: transformou o depoimento de Palocci na pá de cal que vai enterrar o Lula.

Sem uma mísera prova.

Porque o acusador precisa provar aquilo que fala com documentos. Precisa mostrar que além das palavras soltas para agradar à imprensa e ao parcial juiz de Curitiba  existem fatos comprovados que as tornam concretas.

As provas contra Lula deveriam estar em malas de dinheiro escondidas em apartamento de amigo; deveria estar em malas carregadas pelas madrugadas por um assessor do ex-presidente; deveriam estar em gravações onde Lula ameaçasse matar delator caso ele abrisse a boca; as provas contra Lula poderiam estar numa conta na Suíça, num apartamento em Paris ou na Trump Tower.

Elas estão na boca de delatores que são, invariavelmente, acusados pelo próprio Ministério Público de mentirem para ganhar benefícios. Ou na imaginação de procuradores – gente que estudou direito a vida inteira – que confiam mais na convicção do que na existência de provas.

1 Comentário

  • As provas? Ah, as provas! Não precisa de provas. Infelizmente Palocci não aguentou a prisão, que não é fácil mesmo. O depoimento dele abarca tudo o que o Moro precisa para as todas as outras ações que estão com ele: os desvios do dinheiro que virou propina foram de contratos da Petrobrás (logo, Moro é o juiz legitimado); Marcelo Odebrecht iri pagar o terreno que o sr. Bumlai, D. Marisa e o sr. Okamoto resolveram comprar, apesar dos problemas de herança; Odebrecht fez as obras do sítio; Lula queria comprar o ap. ao lado de sua cobertura em S. Bernardo. Lula sabia dos desvios na Petrobras, Moro não deixou que ocorresse o questionamento das aprovações dos projetos pelo Conselho da empresa, das auditorias internacionais. Chegou a mencionar o ministro da Aeronáutica, emas foi impedido pelo facínora. Lula é inocente!

Deixe um Comentário!