Brasil

Ex-presidente do Detro libertado por Gilmar Mendes está foragido

Ex-presidente do Detro libertado por Gilmar Mendes está foragido

Ex-presidente do Detro libertado por Gilmar Mendes está foragido

Libertado por Gilmar Mendes, Rogério Onofre é acusado de receber R$ 44 milhões em esquema de propina. Juiz decretou novamente a sua prisão, mas ele está foragido.

Do G1:


Está foragido o ex-presidente do Departamento de Transportes do Rio Rogério Onofre, que é réu na Lava Jato.

Ele foi solto na quinta-feira (24), depois de um habeas corpus do ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes. Mas nesta sexta-feira (15), o juiz federal Marcelo Bretas determinou a prisão mais uma vez.

A polícia procurou e não encontrou Rogério Onofre na casa dele em Paraíba do Sul, no sul do Estado do Rio.

Ele já foi prefeito da cidade e depois que ganhou o direito de responder ao processo fora da cadeia cumpria na cidade o recolhimento domiciliar. Tinha que passar as noites, os fins de semana e os feriados dentro de casa.

Agora é considerado foragido. Rogério Onofre foi preso no início de julho, acusado de receber R$ 44 milhões em propina do esquema de corrupção no transporte público de ônibus do Rio. Ele foi presidente do departamento que fiscaliza as empresas de 2007 a 2014.

A mulher dele também foi presa dias depois da operação. Dayse Deborah Alexandra Neves estava indo de ônibus para Florianópolis e foi acusada de tentar movimentar US$ 1,8 milhão de um fundo no exterior depois da prisão do marido.

O Ministério Público Federal diz que ela chegou a ter US$ 10 milhões em apenas uma conta no exterior.

Na terça-feira (22), o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu habeas corpus e decidiu soltar o casal.

Na quarta (23), o Ministério Público Federal entrou com pedido para que Rogério Onofre não fosse solto, afirmando que o ex-presidente do Detro ameaçou dois empresários também investigados pela Lava Jato.

Nuno Coelho, conhecido como Batman, e Guilherme Neves Vialle, como Robin, foram presos em agosto, em Curitiba, acusados de lavar dinheiro na venda de imóveis para o casal.

Guilherme Vialle disse em depoimento à Polícia Federal que foi ameaçado pessoalmente por Rogério Onofre. Onofre teria dito que mandou pessoas acompanharem a rotina dele e da família e que, antes de matar Guilherme, iria torturá-lo.

Nuno Coelho disse à polícia que Rogério avisou que sabia onde a família dele e a de Guilherme moravam e que já investigava os dois. As ameaças também chegavam por mensagens de áudio.

Onofre: Vocês não estão acreditando, rapaz, na sorte. Vocês ainda não morreram porque eu quero receber, mermão.

O juiz Marcelo Bretas afirmou que, apesar de as denúncias serem gravíssimas, não poderia analisar o novo pedido de prisão por causa do habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes, e encaminhou ao ministro um ofício relatando os fatos novos.

Gilmar Mendes respondeu que o juiz poderia decidir e, nesta sexta-feira (25), Marcelo Bretas mandou prender mais uma vez Rogério Onofre.

(…)


Deixe um Comentário!