Notícias

Destruir a Amazônia para Temer “é de uma singeleza ímpar”

Destruir a Amazônia para Temer “é de uma singeleza ímpar”

Destruir a Amazônia para Temer “é de uma singeleza ímpar” – Foto: Mauro Pimentel/ AFP

Em visita à China, Michel Temer minimizou a polêmica em torno da extinção da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca).

Saiu na BBC:


Na China, onde está em visita oficial, o presidente Michel Temer minimizou a polêmica em torno da extinção da Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) um dia depois de o ministro do STF Gilmar Mendes dar dez dias ao governo para explicar a decisão.

“É uma questão jurídica. Vamos nos pronunciar sobre isso. Vocês sabem que lá havia uma exploração clandestina ilegal do minério. Vocês verificaram pelo decreto que foi expedido que há preservação absoluta de toda e qualquer área ambiental e de área indígena”, afirmou Temer a jornalistas.

“O que há é uma regularização da exploração que se faz naquela região. Nada mais do que isso. É de uma singeleza ímpar”, acrescentou.

Mendes foi escolhido relator no STF da ação do PSOL contra o decreto que extinguiu a reserva, que está em uma área entre os Estados do Pará e do Amapá e tem 47 mil quilômetros quadrados, o tamanho equivalente ao território da Dinamarca.

Na terça-feira, a Justiça Federal já havia suspendido a decisão do governo.

A extinção da reserva, criada em 1984, vem gerando polêmica desde que foi anunciada, na semana passada. Assinado pelo presidente Michel Temer, o decreto nº 9.142 extinguiu a Renca e liberou a região para a exploração privada de minérios.

O governo afirma que cumprirá legislações específicas sobre a preservação da área. Mas especialistas alertam para os riscos para as áreas de proteção integral e terras indígenas que estão compreendidas dentro do perímetro da Renca.

(…)


1 Comentário

  • Diferentemente do que anda acontecendo entre nós, acho que o J. Batista até sabe muito dos demais bandidos. Mas não preciso das informações dele para julgar MT. Um político que comparece a embaixada de outro país – sabidamente o país que mais defende seus próprios interesses – contra governo eleito com apoio do seu partido; que literalmente trai o governo de que participa, autorizando seus pares no CN a rejeitarem as propostas para superação de crise ou a emendarem as proposições para inviabilizarem a gestão; que participa de corrupção advogando em prol de empresas de reputação duvidosa contra o Estado; que vende o Brasil, sem o menor pejo, para não passar para a história como o governante que afundou as finanças brasileiras; que, no governo, age absurdamente como cidadão do mundo e self made man . Basta! não é digno de caminhar no solo em que pisa. Mas haverá uma parada nestes dias e os jovens soldados, sob o sol desértico de Brasília e o olhar de seus comandantes, lhe prestarão continência. Isso é que dói.

Deixe um Comentário!