Política

O Brasil pode voltar ao mapa da fome

O Brasil pode voltar ao mapa da fome

O Brasil pode voltar ao mapa da fome

Em novembro de 2015, a presidenta Dilma Rousseff reafirmou a necessidade de manter os programas sociais como forma de combater as desigualdades.

Em 2015, ao falar durante a abertura da 5ª Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, em Brasília, Dilma relembrou que era preciso não recuar nas ações que garantiam o Brasil fora do mapa da fome.

“Por isso, nem um passo atrás será dado nessa trajetória. Daremos continuidade e avançaremos sem recuo a ações que garantam ao Brasil ficar livre da fome, inclusive na busca ativa para os que não foram incluídos na rede de proteção social”, afirmou.

Três anos depois de o Brasil sair do mapa mundial da fome da ONU — o que significa ter menos de 5% da população sem se alimentar o suficiente —, o velho fantasma volta a assombrar famílias.

De acordo com O Globo, o alerta, endossado por especialistas ouvidos pelo GLOBO, é de relatório produzido por um grupo de mais de 40 entidades da sociedade civil, que monitora o cumprimento de um plano de ação com objetivos de desenvolvimento sustentável acordado entre os Estados-membros da ONU, a chamada Agenda 2030.

O documento será entregue às Nações Unidas na semana que vem, durante a reunião do Conselho Econômico e Social, em Nova York.

Recentemente, Michel Temer decidiu suspender o reajuste do programa Bolsa Família, que pretendia ser anunciado em julho. Temer justificou o recuo devido à falta de verba.

O Brasil está retornando ao mapa da fome. As políticas de austeridade econômica (que só são austeras para os mais pobres) estão destruindo a rede de proteção social criada pelos governos petistas.

Deixe um Comentário!