Blog do Mailson Ramos

Por que a Veja critica a Lava Jato?

Por que a Veja critica a Lava Jato?

Por que a Veja critica a Lava Jato?

Até bem pouco tempo, Sérgio Moro e os procuradores eram heróis nas matérias da revista Veja. Agora são instauradores de um estado policial. O que mudou?

O mundo dá voltas. O editorial desta semana da revista Veja traz uma ácida crítica à operação Lava Jato e aos seus componentes que são acusados pela publicação da Abril de instaurarem um estado policial no Brasil.

Ao longo de três anos, a Lava Jato brindou a grande mídia com vazamentos seletivos e recebia em troca a luz dos holofotes. Enquanto interessava a punição exclusiva aos políticos do Partido dos Trabalhadores e a dissecação do governo Dilma, Veja e Lava Jato pareciam superfícies da mesma moeda.

Para atiçar os cães da classe média contra a esquerda e provocar convulsões sociais no campo político, a Veja foi muito mais um órgão de panfletagem do que um veículo de comunicação. Quando da divulgação dos grampos telefônicos de Lula com Dilma e de Dona Marisa com o seu filho Fábio Luiz, a revista se posicionou como toda a grande mídia: era preciso divulgar as conversas.

Ninguém questionava o grampo no mictório do Youssef, as pressões físicas e psicológicas para a obtenção de delações, a divulgação de fatos e nomes extemporâneos às investigações, as perseguições a jornalistas que sempre se colocaram contra estas arbitrariedades.

Mas, por que a revista Veja critica a Lava Jato?

Não foi pelas belas palavras de Reinaldo Azevedo, cujas conversas com Andrea Neves, irmã de Aécio, foram divulgadas, sem que tivessem relação com a investigação.

Depois do escândalo da JBS, as figuras que a Veja mais protegeu nos últimos anos foram destruídas em poucas horas.  Aécio Neves, aquele herói que tinha no peito o botão verde da urna eletrônica, foi dilacerado em alguns minutos nas redes sociais após a divulgação da gravação de Joesley Batista.

Michel Temer, que voltou a encher as burras do grupo Abril, está em maus lençóis. A renúncia ou a derrubada o espera logo ali…

Neste mato sem cachorro, só restou a Veja destituir da república de Curitiba os holofotes. Mas não apenas. É preciso agora deslegitimar aqueles que até bem pouco tempo eram objetos insígnes de devoção da mídia hegemônica.

Mas para salvar os grupos políticos a quem sempre foi fiel não custa nada transformar guerreiros anticorrupção em instauradores de estado policial.

Deixe um Comentário!