Notícias

Ditadura: Maia e Temer cercam o Congresso para votar reforma

Ditadura: Maia e Temer cercam o Congresso para votar reforma

Ditadura: Maia e Temer cercam o Congresso para votar reforma

Como nos maus tempos da ditadura, Michel Temer e Rodrigo Maia cercam o Congresso de seguranças para votar a reforma da Previdência.

Nota da Bancada do PT na Câmara

Bancada do PT repudia aparato policial dentro e fora do Congresso Nacional

A Bancada do PT na Câmara dos Deputados repudia o forte aparato policial e militar montado  hoje dentro e fora do Congresso Nacional. O Parlamento amanheceu cercado por grades, com a presença de dezenas de policiais militares e agentes da Polícia Legislativa, todos fortemente armados, como se estivessem preparados para uma batalha campal.

Toda a praça de guerra foi montada para evitar a presença da população na chamada “Casa do Povo”, num dia crucial em que a Comissão Especial que analisa a desastrosa reforma da Previdência prepara-se para votar medidas que virtualmente põem fim à aposentadoria do trabalhador.

O cerco policial-militar ao Congresso é incompatível com um Estado Democrático de Direito e revela que o Brasil, sob o governo ilegítimo Michel Temer/PSDB/DEM e partidos aliados, está próximo a um Estado de exceção. O governo, com a mais baixa popularidade da história recente do País, empurra reformas que atacam e destroem direitos do povo, com o objetivo de beneficiar o setor financeiro, grupos econômicos estrangeiros e camadas privilegiadas da sociedade brasileira.

O aparato de guerra de hoje em Brasília lembra o que foi montado em 1984, em plena ditadura militar, quando decretou-se estado de emergência  para evitar que a população pressionasse o Congresso a votar a favor de eleições diretas presidenciais. 33 anos depois, a história se repete, agora como farsa.

A Bancada do PT condena a decisão da Presidência da Câmara de instalar o cerco policial na Casa. O povo brasileiro repudia as reformas trabalhista e previdenciária, bem como o governo Temer. Só um governo legítimo, com um programa aprovado pela população nas urnas, poderá levar o País a sair da crise, com a geração de empregos, renda e justiça social.

Brasília, 9 de maio de 2017

Deixe um Comentário!