Cidadania Política

Belchior: O poeta marginal

Belchior: O poeta marginal

Belchior: O poeta marginal

Muito mais do que um mero intérprete e compositor de músicas românticas, Belchior foi uma das grandes vozes que se levantou contra a ditadura militar.

Belchior foi um dos grandes compositores e intérpretes da música popular brasileira. A sua ascensão aconteceu justamente no período da ditadura militar – momento em que muitos artistas foram censurados e até tiveram que deixar o país.

Diversas canções compostas e interpretadas pelo cearense foram censuradas pelos generais da ditadura. Elas representavam uma afronta ao regime e traziam mensagens implícitas de reação ao que estava acontecendo com o país.

A canção Pequeno Mapa do Tempo, de 1977, uma crítica implícita ao regime, por causa dos versos “eu tenho medo e medo está por fora” e “eu tenho medo em que chegue a hora, em que eu precise entrar no avião“, uma alusão ao exílio, os censores concluíram que a música trazia mensagem de protesto político.

Escrita e lançada em 1976 Apenas um rapaz latino-americano é uma canção que caracteriza, de maneira irônica, o Brasil do período. Em 1976, cantores e compositores eram deportados do país para não sofrerem punições mais severas, muitas delas físicas.

Outra canção inesquecível de Belchior é Os doze pares de França, de autoria de Belchior e Toquinho, que foi censurada porque para os censores os autores vangloriavam a França, “fazendo dele um país melhor para se viver do que o Brasil”

Nossa Política presta homenagens hoje e sempre a todos aqueles que viveram pela liberdade, pelo direito de expressar a sua personalidade, os seus credos, as suas verdades. Belchior, o poeta marginal, foi um destes brasileiros que transformou a sua arte em manifesto. Para se pensar o país.

Deixe um Comentário!