Notícias

Rejeição a Temer nas redes sociais chega a 89%

Rejeição a Temer nas redes sociais chega a 89%

Rejeição a Temer nas redes sociais chega a 89% – Foto: Reprodução

De acordo com levantamento do El País, 89% das manifestações relativas a Temer no Twitter e no Facebook são negativas.

Do El País:


Que o Brasil está rachado num movimento de polarização política não é novidade para ninguém. Desde 2014 as brigas reais e virtuais entre os que se julgam mais à direita e os que se definem mais à esquerda estão ao alcance de um clique. Mas, há um tema que aproxima simpatizantes dos dois polos, embora suas respectivas bolhas não interajam a respeito: a rejeição ao Governo do presidente Michel Temer.

Um levantamento da empresa de inteligência digital Veto, feito com exclusividade para o EL PAÍS, mostra que durante todo o mês de fevereiro 89% das manifestações relacionadas a Temer no Facebook e Twitter foram negativas para ele, independentemente do perfil político do usuário. Segundo a análise da Veto, quando assumiu como interino em maio de 2016, a imagem do presidente era positiva para 30% dos usuários. Agora, somente 11% promovem mensagens de apoio a Temer nas redes sociais.

O porcentual de 89% de avaliações negativas é contundente, se comparado, por exemplo, aos números de menções depreciativas a Dilma Rousseff nos primeiros meses de 2016. A então poucos meses do processo de impeachment, a avaliação negativa da ainda presidenta alcançava em média 70% em menções a seu nome nas redes, segundo a Veto. “Nunca chegou a 89% numa média mensal como acontece com Temer agora”, afirma Raoni Scandiuzzi, responsável pelo estudo. “Houve dias em que a rejeição a Dilma batia 80% nos comentários nas redes, mas em outros, 60%”, compara.

(…)

A alta rejeição popular de Temer não é novidade. Vem sendo captada pelas pesquisas de opinião tradicionais – 51% consideram o Governo ruim ou péssimo e 10% avaliam a gestão do peemedebista como ótima ou boa, segundo a última pesquisa do Datafolha, realizada em dezembro. O estudo da Veto, entretanto, dá matizes deste descontentamento entre a opinião pública polarizada.

(…)


Deixe um Comentário!