Brasil

Bolsista negra é hostilizada na FGV-SP

Caloura foi hostilizada durante um campeonato esportivo na semana passada pelo fato de ser negra. Na torcida, um dos estudantes gritou: “Negrinha, aqui, não”.

Bolsista negra é hostilizada na FGV-SP – Foto: ABr

Caloura foi hostilizada durante um campeonato esportivo na semana passada pelo fato de ser negra. Na torcida, um dos estudantes gritou: “Negrinha, aqui, não”.

Da Revista Fórum:


Uma caloura de 17 anos, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), foi hostilizada durante um campeonato esportivo na semana passada pelo fato de ser negra. Na torcida, um dos estudantes gritou: “Negrinha, aqui, não”. A partida foi interrompida e o responsável foi procurado, sem sucesso. A direção da instituição informou que irá abrir uma sindicância para apurar o ocorrido.

A jovem, que prefere não ser identificada, está sendo apoiada pelo coletivo 20 de Novembro, formado por estudantes negros da FGV-SP. O grupo emitiu uma nota repudiando o episódio de racismo. “Não vamos admitir que atos como esse continuem acontecendo dentro dos muros da instituição. Exigimos que a coordenação do curso de Economia apure o fato e responsabilize os envolvidos”, declarou.

O diretor da escola de Economia, Yoshiaki Nakano, também emitiu um comunicado sobre a ofensa, em que garante que a Fundação Getúlio Vargas considera “inaceitáveis e injustificáveis quaisquer ações preconceituosas ou intolerantes” e ressalta que esses comportamentos “são passíveis de sanções por má conduta, tais como advertência, suspensão ou exclusão previstas em regimento e normas da escola”.


2 Comentários

  • Parabéns Mr. Yoshiaki Nakano, não esperaria uma percepção diferente de Vossa Senhoria. A atitude por parte do aluno que hostilizou, revela que ainda se encontra mentalmente na idade média e nos causa estranheza um “ser” deslocado no seu tempo e espaço estar presente nos dias atuais onde esse comportamento medieval não cabe mais; a cegueira comportamental o impede de perceber que a espiritualidade nos torna iguais, e as vestes carnais, são apenas uma pequena experiência para ver o grau de evolução que cada indivíduo tem. Mesmo assim, a atitude deve ser condenada, e o aluno ensinado pois ele também não pode ser tratado pelo mesmo viés pois estaríamos descendo vários degraus, para tentar igualá-lo. Ele se encontra em outro estado vibracional! É uma pena.

  • Eu sou BRANCO, e você é NEGRA, nos dois SOMOS SERES HUMANOS, esse BABACA, que a hostilizou, deve ser UM DAQUELES MERDAS, cujo pai gastou uma fabula para que ele entrasse na faculdade, e você como é com CERTEZA mais inteligente, que o ABJETO, também entrou, daí o COCÔ demonstrar em público sua INVEJA.

Deixe um Comentário!