Brasil

O público que a Veja criou é racista

O público que a Veja criou é racista

O público que a Veja criou é racista – Foto: Reprodução/ NP

A capa de Veja nesta semana traz Lázaro Ramos e Taís Araújo como ‘O casal imbatível’. E recebeu comentários racistas dos próprios leitores.

Uma gama de racistas que sobressai do submundo das redes sociais apareceu não para contestar o sucesso destes dois grandes atores, mas para cumprir o dever de serem vexaminosos e retrógrados.

Da Revista Fórum:


A revista Veja trouxe na capa dessa semana os atores Lázaro Ramos e Taís Araújo, classificados pela publicação como “o casal mais inovador e influente do showbiz brasileiro”. A reportagem – que aborda o lado pessoal e profissional dos artistas – parece não ter agradado muitos leitores do veículo, que usaram as redes sociais para destilar seus preconceitos.

Alguns internautas alegaram que o assunto se tratava de “pauta esquerdista” e “perda de tempo”. Outros aproveitaram a situação para atacar medidas como as cotas raciais e o empoderamento da comunidade negra.

O público que a Veja criou é racista

Lázaro e Taís costumam levantar bandeira contra o racismo e, atualmente, estão em cartaz com a peça “O Topo da Montanha”, inspirada no último discurso do líder Martin Luther King, proferido em Memphis, horas antes de ele ser assassinado, em 4 de abril de 1968.

Veja os comentários a seguir:

O público que a Veja criou é racista


Deixe um Comentário!