Blog do Mailson Ramos

Moro se esqueceu de que Michel é Cunha

Moro se esqueceu de que Michel é Cunha

Moro se esqueceu de que Michel é Cunha – Foto: Câmara dos Deputados

Até bem pouco ninguém sabia onde terminava o Michel Cunha e onde começava o Eduardo Temer. Era o mesmo ser rastejante em busca do golpe.

Um dia Jucá, mal sabendo que estava sendo gravado por Sérgio Machado, um destes delatores felizardos da Lava Jato, pronunciou uma frase lapidária: “Michel é Cunha”.

Todo mundo sabe – até as carpas do Palácio da Alvorada – que Michel Temer e Eduardo Cunha estavam intrinsecamente unidos para golpear a presidenta Dilma.

Cunha fazia parte da tropa de choque no Congresso que demoveria o governo petista do poder.

Não nos esqueçamos das pautas-bombas, da má vontade do PMDB – e depois o seu desembarque do governo –, das tantas e tantas vezes em que Dilma apelou a Michel Temer para apagar incêndios políticos.

Ora, quem já ouviu dizer que se apague algum incêndio com gasolina?

Temer estava tão ligado ao Cunha que em certo momento o abandonou. Precisava manter distância daquele cuja corda já roçava o pescoço.

E no primeiro depoimento deste que sempre esteve ligado ao usurpador, Sérgio Moro encontra motivos como constrangimento e intimidação.

Isso só pode ser brincadeira.

A decisão de Sérgio Moro em dizer que Cunha tentou intimidar Michel Temer no processo penal que responde pelo recebimento de R$ 5 milhões de propinas em um contrato da Petrobras, na África é um absurdo.

Imagine os senhores se Eduardo Cunha o fizesse contra Lula. Será que o herói de Curitiba teria a mesma iniciativa? Diria que Cunha extrapola a finalidade do processo judicial?

A cada dia que passa Sérgio Moro se perde naquilo que é mais caro a um juiz: a sua imparcialidade. Ao proteger Michel Temer diante das alegações do seu principal ex-aliado, Moro escancara ao Brasil a hipocrisia desavergonhada que se apossou de nossas instituições.

Conseguem ver o que não existe e ignorar os fatos concretos. Coisas de uma república atirada aos ratos.

7 Comentários

  • concordo que Cunha e Temer são moralmente aparentados e tal e coisa. Agora, isso de dizer que Dilma foi golpeada e tal e coisa, posso dizer: o choro é livre! votei no PT e morro de vergonha!
    Dilma desorganizou a economia, quebrou o estado brasileiro, além de ser analfabeta funcional: lê as leis e não entende. E sabia e participou das maracutaias do PT. Ela tinha de ser retirada, e foi mais que isso: foi EXCRETADA!!
    TCHAU, QUERIDA!

    • marcelo, (com minúscula pois IDIÓTA é adjetivo qualificativo), se a Presidente DILMA é analfabeta funcional, e você votou nela, então não MORRA DE VERGONHA, MORO DE VERGONHA, tens provas que ela sabia de alguma coisa prove. Obs; não vale provas conseguidas através da REDE ESGOTO DE DESINFORMAÇÃO, REVISTALHA VEJA, QUANTO É, jornais EXCAGÃO, FALHA DE SÃO PAULO. Tchau querido você foi EXCREMENTADO.

  • O problema é que o moro protege o temer e o Aécio por isso não Da para confiar no moro já era para ter chamado o temer para depor já que o Cunha disse que as negociações de propina com a Petrobras era o temer que fazia se o Lula e o pt ele já tinha chamado lixo de juiz intervençãomilitarjá

  • Se cunha é michel (com minúscula, pois AMEBAS não são nomes próprio), nós não esquecemos, que moro também é michel e cunha. Ou PIOR QUE OS DOIS JUNTOS. POR ISSO O BRASIL SEGUE A PASSOS LARGOS PARA O FUNDO, eu ia dizer do POÇO, mais fica melhor DA FOSSA.

  • É o que penso também: Michel é Cunha. Creio que a justiça pensou que não estava sendo cooptada pelos corruptos (bem, a amizade Moro-Youssef complica essa tese). A questão era pegar o presidente Lula e acabar com a organização das classes trabalhadoras. Agora, quando se prova que Lula não cometeu crime e que Dilma não cometeu crime, eles estão querendo parar a brincadeira.

Deixe um Comentário!