Notícias

Filho de jornalista da Globo é agredido nos EUA: “’volta para seu país’

Filho de jornalista da Globo é agredido nos EUA: “'volta para seu país'

Filho de jornalista da Globo é agredido nos EUA: “’volta para seu país’ – Foto: Divulgação/ Globonews

A jornalista Sandra Coutinho revelou no Twitter que o seu filho foi agredido na rua por alguém que complementou a agressão dizendo: ‘volta para seu país’.

Saiu no Estadão:


Durante o programa Em Pauta, exibido nesta sexta-feira, 13, a jornalista Sandra Coutinho relatou caso de agressão contra seu filho Gabriel, ocorrido na semana passada em uma rua de Nova York.

“Meu filho estava andando, ouvindo música brasileira. Era um sambão, uma música bem “latina”. E uma pessoa parou ao lado dele e ficou olhando, incomodada. O sujeito simplesmente puxou o fone de ouvido, o empurrou e falou assim: “volta pro seu país, sua bicha”, disse a repórter, durante discussão que abordava as reações intempestivas e furiosas de Donald Trump.

Segundo Coutinho, o filho empurrou o homem de volta e foi ameaçado de prisão. “Pode chamar, você me acusa de agressão e eu vou te acusar de crime de ódio’, respondeu Gabriel ao agressor.

Pelo Twitter, Coutinho adiantou o caso e escreveu: “É o prenúncio da era Trump”.

A jornalista Sandra Coutinho revelou no Twitter que o seu filho foi agredido na rua por alguém que complementou a agressão dizendo: 'volta para seu país’. Saiu no Estadão: Durante o programa Em Pauta, exibido nesta sexta-feira, 13, a jornalista Sandra Coutinho relatou caso de agressão contra seu filho Gabriel, ocorrido na semana passada em uma rua de Nova York. "Meu filho estava andando, ouvindo música brasileira. Era um sambão, uma música bem "latina". E uma pessoa parou ao lado dele e ficou olhando, incomodada. O sujeito simplesmente puxou o fone de ouvido, o empurrou e falou assim: “volta pro seu país, sua bicha”, disse a repórter, durante discussão que abordava as reações intempestivas e furiosas de Donald Trump. Segundo Coutinho, o filho empurrou o homem de volta e foi ameaçado de prisão. "Pode chamar, você me acusa de agressão e eu vou te acusar de crime de ódio', respondeu Gabriel ao agressor. Pelo twitter, Coutinho adiantou o caso e escreveu: "É o prenúncio da era Trump".


[color-box color=”white”]NP

 

 

Agora a grande mídia brasileira vai pintar Trump em cores diabólicas; todo mundo sabe que o novo presidente americano é fanfarrão, conservador e carrega tantos deméritos que não é preciso mais explicitar.

Mas venhamos e convenhamos: para quem não se lembra, esta mesma jornalista Sandra Coutinho, cobrindo encontro de Dilma com Obama, em julho de 2015, fez questão de perguntar ao então presidente americano se o Brasil não era uma potência regional em vez de mundial.

Foi o dia em que a Globo quis rebaixar o Brasil. Mas Obama, categórico, afirmou que o Brasil era uma potência mundial. Toda aquela mise-en-scène da jornalista da Globonews era mais uma maneira de acossar o governo petista, diminuir Dilma, desestabilizar as relações entre os países. Nisto a Globo tem expertise.

A agressão ao filho de Sandra Coutinho não é resultado de Trump. É resultado do sentimento de vira-latas que a Globo tomou como mote para estabelecer as relações entre os EUA (melhor nação do mundo) e o Brasil (pior nação do mundo). Estes jornalistas tanto pregam a supremacia americana sobre o restante do mundo que depois não conseguem entender quando a xenofobia lhes acerta em cheio. Quem manda? [/color-box]

5 Comentários

Deixe um Comentário!