Notícias

Empresa particular retira destroços do avião em Paraty

Empresa particular retira destroços do avião em Paraty

Empresa particular retira destroços do avião em Paraty – Foto: Fabio Motta

Balsa que chegou de Niterói retirou na noite de domingo (22) o bimotor que caiu no mar e vitimou o ministro do STF, Teori Zavascki.

Os destroços do avião em que viajava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, morto em acidente aéreo na última quinta-feira, começaram a ser recolhidos do mar na noite deste domingo, 22. O avião, um bimotor modelo King Air C90GT, fabricado pela Hawker Beechcraft, caiu na água, a cerca de dois quilômetros de Paraty, no litoral sul do Rio. Quatro pessoas morreram, além de Teori.

Por volta das 18 horas, chegou ao local a balsa com um guindaste acoplado para fazer a operação. A vinda da embarcação foi necessária porque o local onde o avião caiu tem profundidade de apenas três metros. Nenhum navio de porte suficiente para içar o avião (que tem pouco menos de 11 metros de comprimento e distância entre as asas de 16 metros) conseguiria navegar em área tão rasa. A balsa consegue navegar em áreas a partir de 2,5 metros de profundidade.

A responsabilidade pelo resgate dos destroços cabe à AGS Logística, empresa com base em São Paulo contratada pela seguradora do avião.

De acordo com informações, após sucessivas tentativas desde a manhã de 21/01, a Aeronáutica desistiu de retirar do mar o avião cuja queda vitimou cinco pessoas, dentre elas o ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki.

Militares da Aeronáutica suspenderam a retirada da aeronave que está submersa a 5 metros de profundidade e pesando 1 tonelada, com a alegação de que, por lei, a empresa proprietária do avião é que deveria retirá-lo do mar.

Com informações do Estadão.

1 Comentário

  • São três ou são cinco metros de profundidade?

    “o local onde o avião caiu tem profundidade de apenas três metros”

    “Militares da Aeronáutica suspenderam a retirada da aeronave que está submersa a 5 metros de profundidade”

Deixe um Comentário!