Política

Maior beneficiário da morte de Teori foi Michel Temer

Maior beneficiário da morte de Teori foi Michel Temer

Maior beneficiário da morte de Teori foi Michel Temer – Foto: Palácio de Piratini

A expectativa dos advogados e executivos que acompanham o acordo da Odebrecht era de que Teori chancelasse as 77 delações no início de fevereiro.

Saiu na Folha:


(…)

A expectativa dos advogados e executivos que acompanham o acordo da Odebrecht era de que Teori chancelasse as 77 delações no início de fevereiro e logo em seguida tornasse públicos os relatos que são considerados os mais explosivos da Lava Jato por citar políticos como o presidente Michel Temer, os ex-presidentes Lula e Dilma, o ministro José Serra e o governador Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo.

O ministro criou uma espécie de força-tarefa para analisar os depoimentos durante o recesso do Supremo, entre os dias 20 de dezembro e 31 de janeiro. A homologação não envolve checagem de conteúdo dos relatos. O processo só afere se os depoimentos foram feitos espontaneamente pelos delatores.

O que você disse?

Se a homologação não envolve o conteúdo das delações, é só com isso que se preocupam os advogados envolvidos nos acordos de outras empreiteiras que foram citadas pela Odebrecht como participantes de crimes ao lado dela. É o que ocorre com Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e OAS, segundo a Folha apurou.

Não é um mecanismo republicano, mas as empreiteiras calibram os crimes que vão revelar e o modo que eles serão relatados pelo depoimento de uma concorrente que está com seu acordo em estado mais avançado.

Exemplo concreto: a Odebrecht cita em seu acordo que a Andrade Gutierrez, a Camargo Corrêa e a OAS participaram de acertos na concorrência da linha 4-amarela do metrô de São Paulo.

As empresas que participaram da obra com a Odebrecht, porém, não sabem se a empreiteira falou apenas em cartel ou se mencionou pagamento de propina a políticos e funcionários públicos.

Apesar de serem dois crimes graves, os advogados preferem uma acusação de cartel à de propina porque a punição para o suborno é muito mais dura.

Os advogados das empreiteiras esperavam o 2 de fevereiro, dia em que Teori supostamente tornaria públicos os depoimentos da Odebrecht, para dosar como vão narrar a sua participação na irregularidade.

É esse calendário que desapareceu com a morte de Teori e com as dúvidas que surgiram sobre quem herdará a relatoria da Operação Lava Jato no Supremo: o novo ministro a ser indicado por Temer, como diz o regimento da corte, ou alguém que já conhece a Lava Jato?

(…)


5 Comentários

  • Esse IDIÓTA, do comentário acima, é advogado do SANTO DO PAU OCO, ou mora em Miami, pois quem mora em São Paulo, sabe que o PICOLÉ DE CHUCHU, faz qualquer coisa: compra vagões para o metro sem ter trilhos por onde passar os mesmos, manda a PM, meter o PORRETE, em quem fizer manifestações contra seu governo, participa de desvio de MERENDA DOS ESTUDANTES. Paga salário de fome para os professores. Enfim é um SANTO, como é conhecido nas DELAÇÕES>

  • Conta outra! O “santo” está na lista , sim! Queremos punição, seja qual for o ministro relator e qual seja o recebedor! Estamos de olho nos desdobramentos da lava-jato e se mataram Teori para se livrar, que paguem, não só pelo assassinato como pela corrupção!

  • Como os próprios delatores relataram, eles nunca estiveram com Alckmin para tratar de doações ou propinas. Ele nunca participou de nenhuma negociação. Todas as contribuições recebidas em campanhas eleitorais disputadas por Alckmin foram devidamente contabilizadas e informadas à Justiça Eleitoral pelos respectivos comitês financeiros cujos membros eram os únicos autorizados a falar em nome do candidato. Definitivamente, não há nada contra Alckmin.

  • Com certeza agora ele vai colocar 1 ministro para tirar as 43 citações de propina da Odebrecht que está no nome dele fora temer e leve sua quadrilha de ladrões

Deixe um Comentário!