Notícias

Apresentador da Record chama Ludmilla de ‘macaca’

Apresentador da Record chama Ludmilla de ‘macaca’

Apresentador da Record chama Ludmilla de ‘macaca’ – Foto: Divulgação

Marcão Chumbo Grosso, apresentador do Balanço Geral, programa da Record do DF, chamou a apresentadora Ludmilla de ‘macaca’.

Do Diário de Pernambuco:


A cantora carioca Ludmilla, famosa após o sucesso do hit Hoje, foi chamada de “macaca” pelo apresentador do Balanço Geral do Distrito Federal nesta terça-feira. Marcão Chumbo Grosso fez o comentário racista durante conversa com Sabrina Albert, no quadro A hora da venenosa, e tentou corrigir depois, chamando a si próprio de “macaco”. O programa é exibido pela Record na capital federal do país.

A dupla comentava a reação da funkeira com os fãs que a abordam para tirar fotos. De acordo com Sabrina Albert, a cantora usou como desculpa estar gripada para evitar contato com as pessoas em um restaurante. “É uma coisa que não dá para entender. Era pobre, macaca… Pobre, pobre mas pobre mesmo. Eu sempre falo para os meus amigos: eu era pobre e macaco também. Eu era não… Eu sou rico hoje, de saúde, graças a Deus”, disparou Marcão.

Após ver o vídeo, Ludmilla decidiu denunciar o apresentador. “A mãe dela me ligou chorando, triste pra caramba. Ludmilla está muito chateada”, contou o empresário da artista, Alexandre Baptistini, ao Viver. A queixa-crime será contra Marcão e a Record, segundo ele. “Quantas vezes precisar, ela vai processar sim. E ainda foi em uma televisão de pastor”, assegurou. Segundo ele, ela também foi chamada de macaca no dia 9 de janeiro. Ludmilla já denunciou a socialite Val Marchiori e um internauta – posteriormente identificado – por racismo.

Ex-deputado estadual do Tocantins, Marcão defende que não foi racista e diz que a expressão é comum na região. “”O termo ‘macaco’ é utilizado no Centro-Oeste sem teor pejorativo. Por exemplo: é bastante comum ver pessoas dizendo que ‘fulano é macaco velho’, pois já tem certa vivência em determinada coisa. É a mesma situação presente no vídeo, com a simples mudança do adjetivo que acompanha o termo. A acusação de racismo não procede”, argumenta ele, em nota.

Assista ao vídeo:

Deixe um Comentário!