Nossa Política

O novo pesadelo de Temer se chama Benjamin

O novo pesadelo de Temer se chama Benjamin
O novo pesadelo de Temer se chama Benjamin – Foto: STJ-PB
Herman Benjamin é ministro do STJ e no TSE, é relator do processo que pode cassar a chapa Dilma-Temer por irregularidades.

Do site Divergentes, via Helena Chagas:


Benjamin é a nova assombração do Planalto

O mais novo objeto de preocupação do Planalto hoje atende pelo nome de Herman Benjamin, o ministro do STJ que, no TSE, é relator do processo que pretende cassar a chapa Dilma-Temer por irregularidades no financiamento da campanha de 2014. Nos últimos dias, os sinais emitidos por Benjamin, e a divulgação de elementos relacionando de forme estreita as doações eleitorais  para petistas e peemedebistas – como o cheque com o depósito de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez – vem assustando muita gente no governo.

A mídia ainda trata o assunto com sobriedade, sem cara de escândalo, e o tempo trabalha a favor de Michel. Em matéria publicada no Valor desta sexta-feira, a colega Maria Cristina Fernandes dá a explicação: entre abril e maio do ano que vem, serão substituídos dois ministros advogados do TSE, dando ao governo Temer a chance de compor uma maioria a seu favor no tribunal e garantir que não será cassado. Até lá, o processo iria sendo empurrado fora da pauta pelo presidente Gilmar Mendes, considerado um amigo do Planalto.

Só que mesmo esse planejamento tranquilizador pode dar errado. Os mesmos planaltinos que veem em Gilmar um amigo consideram Benjamin um simpatizante dos governos petistas. E estão incomodados com o ativismo do ministro, que parece estar querendo investigar mesmo a fundo, de verdade, as irregularidades da campanha ligadas à Lava Jato – que tendem a ficar cada vez mais visíveis, sobretudo com a próxima delação da Odebrecht.

Ninguém sabe o que mais vai aparecer, arrebatando a opinião pública, e o que Benjamin vai fazer com isso. Pode vir desgaste grande por aí. Fica cada vez mais distante a possibilidade de o relator aceitar a separação das contas das duas campanhas e considerar que as doações feitas pela Andrade Gutierrez a Dilma são fruto de propina e as feitas a Temer não.


4 comentários