Notícias

MP nega acesso da defesa de Lula, mas vaza para Época

MP nega acesso da defesa de Lula, mas vaza para Época

MP nega acesso da defesa de Lula, mas vaza para Época – Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Os advogados do presidente Lula divulgaram nota em que afirmam que o Ministério Público negou o acesso à defesa. Mas vazaram para a revista Época.

Do site do Presidente Lula:


MP nega acesso da defesa de Lula a documento vazado para a Época

A defesa do ex-presidente Lula divulgou nesta quarta-feira (05) uma nota de repúdio ao vazamento de informações relativas às investigações e a processos à imprensa.

“Após a imprensa noticiar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria sido indiciado no âmbito da Operação Janus, diligenciamos na Polícia Federal para a obtenção de cópia do suposto relatório elaborado pela autoridade policial. Fomos informados de que os autos foram remetidos na data de ontem ao Ministério Público Federal. E no âmbito do MPF tivemos negado acesso aos autos na data de hoje”.

Confira a nota na íntegra:

Nota      

Na condição de advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva repudiamos mais uma vez a ocorrência, na data de hoje (05/10/2016), de vazamento de informações relativas à investigações e a processos à imprensa em detrimento da defesa regularmente constituída.

Após a imprensa noticiar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria sido indiciado no âmbito da Operação Janus, diligenciamos na Polícia Federal para a obtenção de cópia do suposto relatório elaborado pela autoridade policial. Fomos informados de que os autos foram remetidos na data de ontem ao Ministério Público Federal. E no âmbito do MPF tivemos negado acesso aos autos na data de hoje.

É estranho, para dizer o menos, que no dia seguinte à remessa dos autos do inquérito policial para o Ministério Público Federal a imprensa receba com primazia – inclusive em relação aos advogados constituídos – cópia do relatório elaborado pela Polícia Federal, que, ao mesmo tempo, é negado à defesa. Privilegia-se o espetáculo em detrimento às garantias fundamentais.

Esclarecemos, ainda, que no dia 13/09 o ex-presidente Lula foi ouvido em declarações – ou seja, sem as garantias e direitos de qualquer investigado – pela Delegada Federal que preside o IPL nº 1710/2015.

Isso significa dizer que há exatos 16 dias úteis não havia qualquer elemento concreto nos autos do citado inquérito policial que pudesse sugerir a existência de qualquer indício da prática de um ilícito.

Na oportunidade, Lula esclareceu, dentre outras coisas, “QUE TAIGUARA não chegou a conversar com o declarante sobre a criação da empresa EXERGIA BRASIL”; “QUE não chegou a tratar, em nenhum momento, nem quando era Presidente ou depois, das relações comerciais vinculadas a TAIGUARA”,

Os fatos, mais uma vez, cedem espaço às “convicções”.

Tão logo tenhamos acesso aos autos tomaremos as medidas cabíveis, no âmbito administrativo e judicial para restabelecer os direitos de Lula e, ainda, para que seja apurado mais um ato que atenta contra as garantias fundamentais do ex-presidente.

Cristiano Zanin Martins e Roberto Teixeira


1 Comentário

  • Quem e o que de fato existe por trás das atitudes “ilegais” da PF, MPF e do Judiciário em geral?…sabe-se que TODOS os partidos políticos se utilizaram do caixa 02…tiveram financiamentos dos empresários e grandes empresas…que a corrupção é generalizada e todos os partidos tem seus grandes corruptos e corruptores…será que existe um “acordão” para que não se divulgue ou comente que a corrupção já se encontra na PF, MPF e outras “instituições”?…

Deixe um Comentário!