Opinião

Brito: Moro foi bonzinho com Youssef, um rato

Brito: Moro foi bonzinho com Youssef, um rato

Brito: Moro foi bonzinho com Youssef, um rato – Foto: Lula Marques/Agência PT

Sérgio Moro resolveu abreviar para o mês que vem o fim da cadeia para Youssef. Curioso é que Youssef recebe o benefício pela segunda vez.

Do Tijolaço:


Com quem Moro é bonzinho? Com o rato Youssef…

Sabe aquela história de penas beirando a eternidade para os ladrões públicos?

Esqueça…

Noticia O Globo que o bom juiz Sérgio Moro resolveu abreviar para o mês que vem o fim da cadeia para Alberto Youssef: dos três anos de regime fechado, o doleiro vai ter um “desconto” da quatro meses, usando apenas tornozeleira. Em março, estará em regime aberto, com a única condição de que não cometa novos crimes.

Curioso é que Youssef recebe o benefício pela segunda vez.

Na página oficial da própria Operação Lava Jato, sob a responsabilidade do Ministério Público, está cristalina a informação de que ele pouco ficou preso pelos desvios milionários feitos no caso Banestado, que seriam destinados a ajudar politicamente o governador Jaime Lerner (PFL), apesar de ter sido condenado pelo mesmo Sérgio Moro  a quatro anos e quatro meses de reclusão.

Dizem nossos guapos procuradores, lá:

No final de 2003, Alberto Youssef assinou com o Ministério Público o primeiro acordo de colaboração clausulada da história brasileira, em que se comprometia a colaborar com a investigação e a não mais cometer crimes.

Solto, não fez outra coisa, nas barbas de Moro.

Mas mesmo reincidente,  vai ganhar novo  benefício antecipado, mesmo tendo perdido aquele.

E, quem sabe, possa se meter em mais “alguma”, com o compromisso, é claro, de contar tudo depois e, quem sabe, fazer acordo, ou usando o expediente do “roube dois, mas pague um”. Ou nem isso.

No tempos do governador paulista Adhemar de Barros ficou famosa a provocação que se fazia sobre ele: “rouba, mas faz”.

Agora, estamos na época do “rouba, mas fala”.

4 Comentários

Deixe um Comentário!