Blog do Mailson Ramos

Temer: covarde e impopular

Temer: covarde e impopular

Temer: covarde e impopular – Foto: Beto Barata/ PR

Chegará o momento em que o silencio da mídia, a repressão da força policial e o menosprezo de Temer não segurarão o movimento das Eleições Já.

Michel Temer não tem popularidade. E jamais terá. Porque foge do povo como o diabo foge da cruz. O seu governo tem o estigma do golpismo. Não importa aonde vá, se para a China ou a Cochinchina: o resultado dos seus passos é o desagrado pela traição cometida, pela usurpação, pela fraude do impeachment. E não vai resolver a situação descaracterizando os protestos.

Um governo que se inicia usando a força policial – contra o que ele chamou de “pequenos grupos” – demonstra fraqueza e indisposição para dialogar. Governos autoritários não conhecem este verbo. Temer vai impor a força contando com o desânimo daqueles que lutam contra o golpe. Favorecido, um dia repetirá que estava certo quando se reportou aos manifestantes como “uns 40, 50 ou 100 pessoas, nada mais”.

A covardia acompanha a impopularidade. Na China, rodeado por jornalistas que quase lhe babam os sapatos, Temer encontra forças para acreditar que a maioria dos brasileiros é favorável ao seu mandato. Há algumas semanas não se publica uma mísera pesquisa para avaliar este governo que continua sendo a antessala do purgatório, um desmontador de Estado.

Os institutos de pesquisa trabalham com o timing do golpe. Ou alguém se esqueceu das pesquisas quase semanais para atesta a impopularidade de Dilma nos últimos momentos do governo? A última pesquisa Datafolha, por exemplo, foi um grande escândalo de manipulação. Quiseram legitimar Temer antes que ele assumisse definitivamente a presidência da República. Práticas de uma imprensa que perdeu todo e qualquer escrúpulo.

Mal assumiu a presidência, Temer partiu para a China e deixou o país nas mãos de Rodrigo Maia. Enquanto o golpista-mor se diverte do outro lado do mundo, procurando popularidade onde não vai encontrar, os “pequenos grupos” se organizam nas ruas e vão preparar uma grande manifestação amanhã na Avenida Paulista, em São Paulo.

Chegará o momento em que o silencio da mídia, a repressão da força policial e o menosprezo de Temer não segurarão o movimento das Eleições Já. Neste dia, o golpe desabará, como castelo de cartas que é.

Deixe um Comentário!