Blog do Mailson Ramos

A repressão militar nas ruas de São Paulo

A repressão militar nas ruas de São Paulo

A repressão militar nas ruas de São Paulo – Foto: Alex Silva / Estadão

É o trágico modelo da repressão militar sob o comando dos generais de 1964; o #ForaTemer é uma representação do que foi o a luta contra  a ditadura.

Utilizar a força. Reprimir, reprimir e reprimir: este é o mandamento número um das polícias militares nos Estados brasileiros para conter o avanço do #ForaTemer. Já derramaram sangue e vão derramar muito mais para “impor a ordem”.

Mesmo com a presença de crianças e idosos, as manifestações têm sido reprimidas com a desculpa de que “não divulgaram o itinerário”. Nesta semana, a fotógrafa Márcia Zoet, que disse ter sido atingida por bombas da PM.

O alvo não importa. Se está entre os manifestantes, deve levar bordoada e tiro de bala de borracha. Isso, entretanto, faz com que o movimento cresça ainda mais.

A repressão militar nas ruas de São Paulo

Foto: Mídia Ninja

Como aconteceu com as Diretas Já – ou como acontece com qualquer outro movimento democrático nas ruas contra as elites e o projeto neoliberal – as grandes mídias não deram cobertura. Não darão até esta onda se tornar um tsunami.

Neste dia, quando o descontentamento saltar da pele, a Globo vai escalar seus repórteres para gravar dos arranha-céus chamadas tímidas no intervalo das novelas. Porque a Globo e esta mídia viciosa que a acompanha, são avessas à democracia.

A repressão militar nas ruas de São Paulo

Foto: Mídia Ninja

E o dia delas também está próximo. Não se vai esperar mais cinquenta anos para a admissão deste golpe. Os descontentes com Temer não demoram a se aliar, independente das ideologias. Aí o boi vai para o brejo.

Não deixe de visitar a página do evento Ocupe a Paulista Contra o Golpe, marcado para o próximo domingo, às 14hrs, em frente a Fiesp.

A repressão militar nas ruas de São Paulo


2 Comentários

Deixe um Comentário!