Blog do Mailson Ramos

Diretas Já: Nada se resolve sem o sufrágio popular

Diretas Já: Nada se resolve sem o sufrágio popular

Diretas Já: Nada se resolve sem o sufrágio popular – Foto: NP

É preciso lutar pelas Diretas Já, por novas eleições presidenciais que possam devolver o comando do país a alguém que tenha legitimidade.

Dilma Rousseff foi deposta por um golpe parlamentar, urdido no entremeio da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com a anuência de um judiciário que nada fez além de lavar as mãos. Crime de responsabilidade? Não houve. Fora o discurso antipetista que vocifera famigeradas informações da grande mídia, não há arguição contra a presidenta destituída.

Vive-se agora sob um governo golpista que não esconde as suas pretensões: reduzir a nada o Estado, desmontar políticas sociais, reduzir direitos e estabelecer um modus operandi em que os setores conservadores da sociedade sejam, por essência, privilegiados.

A questão relevante é que Michel Temer atirou no lixo o plano de governo que o elegeu vice-presidente. Não se tratou de remover aquilo que estava errado. O projeto do governo foi descartado sumariamente. Não houve interesse em aproveitar absolutamente nada. A sensação de legitimidade deste governo não existe, mas os ministros continuam batendo no peito em nome da Constituição.

Isso só o povo resolve com o seu valioso sufrágio.

Sem voto popular, o governo golpista jamais terá legitimidade. Michel Temer tem uma equipe de comunicação que trabalha para evitar vaias, o que é quase impossível para alguém que precisa se expor todos os dias. Como poderia o Elsinho Mouco evitar as vaias que Temer levou no Maracanã, na abertura das Paralimpíadas?

Até quando o presidente interino vai se esconder? Ele não carrega somente a pecha de golpista. A engrenagem do golpe girou quando Temer, aliado com Eduardo Cunha, trabalhou para afastar Dilma. Sobre ele pesa uma impopularidade gritante.

A organização nas ruas cresce. O movimento ‘Fora Temer’ precisa ser muito mais do que a destituição de um golpista que assumiu após um golpe.  É preciso lutar pelas Diretas Já, por novas eleições presidenciais que possam devolver o comando do país a alguém que tenha legitimidade.

Do contrário, veremos o país caminhar por passos errantes.

1 Comentário

Deixe um Comentário!