Notícias

Servidores do Itamaraty aderem à greve em 60 postos

Servidores do Itamaraty aderem à greve em mais de 60 postos

Servidores do Itamaraty aderem à greve em mais de 60 postos – Foto: Diogo Neris

Servidores do Itamaraty aderem à greve organizada pelo SINDITAMARATY; mais de 60 postos, incluindo embaixadas, consulados, delegações e missões participam do movimento grevista.

Do SINDITAMARATY, por Adriana Araújo:


Servidores em mais de 60 postos do Itamaraty no exterior aderiram à greve

Servidores em mais de 60 postos do Itamaraty no exterior, incluindo embaixadas, consulados, delegações e missões, aderiram à greve organizada pelo Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores (SINDITAMARATY). No Brasil, a categoria também cruzou os braços e fez ato de protesto em frente ao Palácio do Itamaraty, nesta terça-feira (23). A manifestação começou na área interna do órgão, próximo ao gabinete do ministro José Serra. Eles reivindicam a conclusão das negociações salariais iniciadas em março de 2015.

Nesta quarta-feira (24), os servidores participam de manifestação em frente ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão às 15h30, horário de Brasília.

O impasse em torno da equiparação dos salários do Serviço Exterior Brasileiro às demais carreiras típicas de Estado, principal pleito da categoria, impediu o avanço da negociação, que já leva um ano e meio. Segundo o SINDITAMARATY, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão colocou na mesa, por diversas vezes, proposta de reajuste de 27,9%, percentual que só considera a inflação. No entanto, a remuneração dos servidores do Itamaraty, quando comparada à das carreiras típicas de Estado, está defasada em mais de 30%, a depender da carreira.

Para a presidente do SINDITAMARATY, Suellen Paz, falta vontade política para resolver o problema. Desde a posse do ministro José Serra, o sindicato tem feito repetidos pedidos de audiência, mas não obteve retorno. A greve da categoria chegou ao segundo dia hoje, mas até o momento nenhum interlocutor do órgão entrou em contato com o sindicato.

Veja alguns países onde os servidores do Itamaraty aderiram à greve

Amã (Jordânia), Argel (Argélia), Atenas (Grécia), Barcelona (Espanha), Belgrado (Sérvia), Belmopan ( Belize), Berlim ( Alemanha), Berna (Suíça), Boston (New York), Bucareste (Romênia), Camberra(Austrália), Chicago (EUA),Ciudad Del Este (Paraguai), Colombo (Sri Lanka), Copenhague (Dinamarca), Córdoba (Argentina), Dili Embaixada (Timor-Leste), Estocolmo (Suécia), Frankfurt (Alemanha), Hamamatsu (Japão),Helsinque (Finlândia), Lima (Peru), Lisboa (Portugal), Londres (Inglaterra), Los Angeles ( EUA), Madri (Espanha), Manila (Filipinas), Moscou (Rússia), Munique (Alemanha), Nova York (EUA), Cidade Do Panamá (Panamá), Pequim (China), Praga (República Checa), Quito (Equador), Santa Cruz (Bolívia), São Francisco (EUA), Sidney (Austrália), Tiblisi (Geóorgia), Tóquio (Japão), Toronto (Canadá), Vancouver (Canadá), Varsóvia (Polônia), Washington (EUA), Xangai (China).


ERRATA: Nossa Política informou na matéria Itamaraty entra em greve pela primeira vez na história que esta é a primeira movimentação grevista dos servidores do Itamaraty. Erramos. Os servidores do Itamaraty já participaram de greves em 2012 e 2015.

Deixe um Comentário!