Notícias

Parlamentares britânicos condenam o golpe

Parlamentares britânicos condenam o golpe

Parlamentares britânicos condenam o golpe – Foto: Reprodução

A carta de repúdio ao golpe é assinada por mais de 15 parlamentares trabalhistas britânicos, como Richard Burgon, Ruth Cadbury, Lord Martin John O’Neill e Andrew Gwynne.

Saiu no Valor:


Parlamentares britânicos condenam ‘suspensão’ de Dilma no ‘Guardian’

Imagens da presidente afastada Dilma Rousseff foram estampadas nos sites dos principais jornais mundiais nesta segunda-feira devido ao seu pronunciamento no Senado contra o processo de impeachment. A mídia internacional destacou a acusação feita pela petista de que há um “golpe” em curso no Brasil. As informações são da Agência Ansa.

De maneira mais ousada, o jornal britânico “The Guardian” publicou uma carta aberta “condenando a suspensão da presidente Dilma Rousseff”. “É completamente errado que alguns poucos parlamentares se coloquem sobre a vontade política expressa nas urnas por 54 milhões de brasileiros”, diz a carta, cujo título é “Suspensão de Dilma Rousseff é um insulto à democracia no Brasil”.

“O novo governo mostrou suas verdadeiras facetas ao criar um gabinete sem representatividade, somente com homens, lançando políticas neoliberais que ferem milhões de trabalhadores e pessoas de baixa renda. O governo interino não tem mandato para implementar estas políticas”, critica o texto. A carta é assinada por mais de 15 parlamentares trabalhistas britânicos, como Richard Burgon, Ruth Cadbury, Lord Martin John O’Neill e Andrew Gwynne.

“Nós estamos ao lado dos movimentos sociais e grupos civis da sociedade para condenar esse atentado contra a democracia no Brasil”, finalizou o documento.

Leia também:

“Rousseff diz que está ocorrendo um golpe de Estado no Brasil”, publicou o espanhol “El Pais”, na mesma linha adotada pelo francês “Le Monde” e pelo argentino “Clarín”.&nbsp;<span>O jornal americano “The New York Times” deu ênfase à promessa de Dilma de que “não será calada pelo processo de impeachment”.

A emissora latino-americana “Telesur” publicou que Dilma assegurou, durante todo seu pronunciamento, que não violou a Constituição nem cometeu crimes de responsabilidade em seu governo. “Jamais atentaria contra o que acredito ou praticaria algum ato que seja contrário aos interesses dos que me elegeram”, disse Dilma, citada pela rede de TV.

(…)


3 Comentários

  • Só afasta-se um governo se houver crime de responsabilidade, o que me parece não é o caso. É apenas uma briga pelo poder que vez o pais piorar seu desenvolvimento que vinha a mais de 10 anos avançando.

  • e facil falar la de fora, no ar condicionado sem viver as dificuldades a que esse governo dilma nos impôs, milhões de desemprego e sem pespectiva ….. ate quando essa mulher vai nos fazer sofrer.

    • Dificil é conviver com tanta gente burra nesse país, Em dois mil e trés o desemprego era tanto que lula prometeu na campanha criar dez milhões de emprego e crio, já é hora de acabar com essa frescura a constituição não fala cassar mandato por desemprego nem crise econômica, isso sempre existiu, o que esta se falando é numa violação a vontade popular, alias Ferir direitos fundamentais, e a arquiteta dessa safadeza tos sabem quem é classe de imbecil que jogou o país no fundo Monetário internacional, que o tiro de lá todo que tem bom senso sabe sabe, agora vim esses babacas que não, e nem deveria si quer votar falar besteira, o que esses Idiotas sabe sobre constituição nada

Deixe um Comentário!