Notícias

Odebrecht: Serra recebeu R$ 23 mi de caixa dois

Odebrecht: Serra recebeu R$ 23 mi de caixa dois

Odebrecht: Serra recebeu R$ 23 mi de caixa dois – Foto Reprodução

Segundo informações de funcionário que negocia acordo de delação premiada, Serra recebeu R$ 23 mi via caixa dois.

Do Notícia ao Minuto:


Serra recebeu R$ 23 milhões via caixa dois, revela Odebrecht

Os investigadores da Operação Lava Jato conversaram com executivos da Odebrecht para recolher informações sobre o pagamento de propinas a políticos.

Nas declarações, os executivos da empreiteira afirmaram que a campanha José Serra (PSDB-SP), à Presidência da República, em 2010, recebeu R$ 23 milhões da empreiteira via caixa dois.

Serra é atualmente ministro das Relações Exteriores do governo interino de Michel Temer. Segundo a reportagem da Folha de S. Paulo, o valor hoje corrigido pela inflação do período, equivale a R$ 34,5 milhões.

Além disso, os executivos revelaram que parte do dinheiro foi entregue no Brasil e parte foi paga por meio de depósitos bancários realizados em contas no exterior.

O acordo de delação entre a força-tarefa da Lava Jato e os executivos da empreiteira ainda não foi assinado.

A empreiteira Odebrecht pretende apresentar extratos bancários de depósitos realizados fora do país que tinham como destinatária final a campanha presidencial do então candidato. A empresa quer comprovar que houve o pagamento por meio de caixa dois.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aponta que, em 2010, a Odebrecht doou R$ 2,4 milhões para o Comitê Financeiro Nacional para Presidente da República de Serra (R$ 3,6 milhões em valores corrigidos).

Ou seja, a reportagem indica que a campanha do tucano teria recebido do grupo baiano R$ 25,4 milhões, sendo R$ 23 milhões “por fora”.

Na possível delação, os funcionários da Odebrecht também planejam explicar que Serra era tratado pelos apelidos de “Vizinho” e “Careca” em documentos da empreiteira.

Acarajé

A publicação recorda ainda que o nome do atual ministro das Relações Exteriores foi um dos que apareceram na lista de políticos encontrada na casa do presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa da Silva Júnior, durante a 23ª fase da Lava Jato, a Acarajé, em fevereiro.

Os funcionários da empresa também deve revelar que houve propina paga a intermediários de Serra no período em que ele foi governador de São Paulo (de 2007 a 2010) vinculados à construção do trecho sul do Rodoanel Mário Covas.

(…)


1 Comentário

Deixe um Comentário!