Notícias

Le Monde: É golpe ou, no mínimo, uma farsa

Le Monde: É golpe ou, no mínimo, uma farsa

Le Monde: É golpe ou, no mínimo, uma farsa – Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Jornal francês atenta para o fato de que os brasileiros são vítimas desta tragicomédia que, se não for golpe, é no mínimo uma farsa.

Do Uol:


Opinião: Queda de Dilma ou é golpe de Estado ou é farsa

“Se esse não é um golpe de Estado, é no mínimo uma farsa. E as verdadeiras vítimas dessa tragicomédia política infelizmente são os brasileiros.”

Dilma Rousseff, a primeira presidente mulher do Brasil, está vivendo seus últimos dias no comando do Estado. Praticamente não há mais dúvidas sobre o resultado do julgamento de sua destituição, iniciado na quinta-feira (25) no Senado. A menos que aconteça uma reviravolta, a sucessora do adorado presidente Lula (2003-2010), que foi afastada do cargo em maio, será tirada definitivamente do poder no dia 30 ou 31 de agosto.

Dilma Rousseff cometeu erros políticos, econômicos e estratégicos. Mas sua expulsão, motivada por peripécias contábeis às quais ela recorreu bem como muitos outros presidentes, não ficará para a posteridade como um episódio glorioso da jovem democracia brasileira.

Para descrever o processo em andamento, seus partidários dizem que esse foi um “crime perfeito”. O impeachment, previsto pela Constituição brasileira, tem toda a roupagem da legitimidade. De fato, ninguém veio tirar Dilma Rousseff, reeleita em 2014, usando baionetas. A própria ex-guerrilheira usou de todos os recursos legais para se defender, em vão.

Impopular e desajeitada, Dilma Rousseff acredita estar sendo vítima de um “golpe de Estado” fomentado por seus adversários, pela mídia, e em especial pela rede Globo de televisão, que atende a uma elite econômica preocupada em preservar seus interesses supostamente ameaçados pela sede de igualitarismo de seu partido, o Partido dos Trabalhadores (PT).


3 Comentários

  • Excluindo o “desajeitada”, essa é a verdade que o mundo está vendo! Pantomima, trama diabólica, não aceitação do resultado das eleições, jogo de carta marcadas, isso é a palhaçada do impeachment!

Deixe um Comentário!