Blog do Mailson Ramos

Por que Janot suspendeu a delação de Léo Pinheiro?

Por que Janot suspendeu a delação de Léo Pinheiro?

Por que Janot suspendeu a delação de Léo Pinheiro? – Foto: Rafael Arbex/ AE

Até os paralelos de Brasília sabem que delação interessante tem que alvejar o PT; não tendo esta característica, corre o risco de ser até suspensa.

Para evitar um choque maior entre o MPF e o STF, Janot resolveu suspender as negociações do acordo de delação premiada do ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, e de outros executivos da empreiteira.

Saindo em defesa do colega Dias Toffoli – e mais nada – Gilmar Mendes desceu o porrete na Lava Jato, em Moro e no MPF. Sobrou também para Veja, destino do vazamento contra o ministro da Suprema Corte que teria recebido favores especiais de Léo Pinheiro.

Significa que os podres da Lava Jato e os equívocos de Sérgio Moro (e a trupe de procuradores celebridades) só são criticáveis quando é para defender alguém do próprio Judiciário. Longe disso, mira e munição só podem destruir o PT, alvo incoercível desta Justiça que de cega não tem nada.

Segundo informações de O Globo, o Ministério Público acredita que houve quebra de confidencialidade, uma das cláusulas do pré-acordo feito há duas semanas.  Agora vem a questão primeira e mais relevante: quantos e quantos documentos da Lava Jato foram vazados sem uma mísera reação do Janot?

Questão segunda e não menos relevante: será que a suspensão das negociações do acordo de delação premiada não se deu porque o “prejudicado” foi um ministro da Suprema Corte e não por simples quebra do sigilo?

Ao longo da Lava Jato, não somente a Veja, mas toda a grande mídia se refestelou com vazamentos, os mais seletivos possíveis.  Documentos criptografados foram desviados para as redações do jornalões criminosa e despudoradamente. E hoje a questão são os vazamentos, ou, seja, descobriu-se de uma hora para outra que a Lava Jato não pode vazar.

E eles querem que o povo acredite na seriedade e imparcialidade do Judiciário.

1 Comentário

Deixe um Comentário!