Opinião

Caldeirão do Golpe queima os nossos direitos e conquistas

Caldeirão do Golpe queima os nossos direitos e conquistas

Caldeirão do Golpe queima os nossos direitos e conquistas – Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Para o deputado Paulo Pimenta, o golpe vem para tirar direitos sociais e trabalhistas, violar os direitos humanos, a liberdade de expressão, a organização política democrática do país.

O governo golpista do interino Michel Temer resulta de uma aliança entre os setores políticos, empresariais e da grande mídia que representam no país os interesses do grande capital e sua manobra para retomada da hegemonia sobre o Brasil.

Como aliados nessa cena de golpe, figuraram todo tipo de oportunistas, demagogos, retrógrados e reacionários. Eles ficaram conhecidos como “coxinhas”, expressão usada em referência a um movimento de direita que agregou a oposição despolitizada. Entre as posturas adotadas por setores desse grupo, estão: pintar de herói o juiz Moro e Janaína Pascoal, bradar contra educadores como Paulo Freire, pedir a volta da ditadura militar, perseguir Lula por assegurar a condição de cidadania aos excluídos, injuriar Dilma por ser mulher e ocupar o poder político em uma estrutura machista, dentre diversas outras atrocidades.

O afastamento da presidenta Dilma, fundado sobre a grande farsa do crime de responsabilidade, ocorre, portanto, como consequência da articulação política que se aglutina em torno da manutenção das desigualdades e da exclusão. É uma articulação incompatível com governos que desafiam o neoliberalismo, mas afinadas com as medidas anunciadas por Temer. O golpe vem com propósitos e direções bem definidas. Vem para, tirar direitos sociais e trabalhistas, violar os direitos humanos, a liberdade de expressão, a organização política democrática do país, o que Dilma não permitiu em seu governo. O governo golpista vem, portanto, para eliminar a democracia.

E, assim como não há direitos humanos de baixa intensidade, não existe democracia sem a plena garantia de direitos individuais e coletivos. Estamos completando mais de 100 dias desse golpe ao Estado democrático de direito, e as ameaças às garantias constitucionais só crescem. O desmantelamento das garantias asseguradas na CLT, por exemplo – como carteira assinada, férias, 13º salário e aposentadoria – já ganha contornos de realidade.  A conclusão do ciclo de privatizações, iniciado nos governos FHC, também ganha vigor com a entrega do pré-sal e a privatização da Petrobras, patrocinadas agora pelo interino “MiShell” e seu fiel escudeiro no plano de destruir o Mercosul, o tucano José Serra.

O projeto “Escola Sem Partido”, que estimula a negação da política por crianças, adolescentes e jovens, os cortes nas bolsas de pesquisa universitária – justificados pelo Ministro interino da Justiça com a afirmação de que o Brasil precisa de menos pesquisa e mais armamento -, a nomeação de um policial envolvido no massacre do Carandiru para o Itamaraty, a PEC 241 que congela os gastos públicos por 20 anos e implica diretamente o sucateamento da Saúde, da Educação e da Previdência Social são apenas poucos exemplos do grande pacote de retrocessos já colocados na agenda do golpe.

Há uma lista extensa de retirada de direitos, desmonte de políticas públicas e medidas de encolhimento do Estado já impetradas ou previstas para serem efetivados num futuro próximo. O portal “Alerta Social”, que tem feito um acompanhamento diário desse processo, já listou ao menos cem direitos perdidos desde o golpe. O projeto rejeitado nas urnas, hoje implementado sem legitimidade, é um projeto contra trabalhadores e trabalhadoras, estudantes, mulheres, negros, população LGBT, povos indígenas, populações do campo. É um golpe contra o povo brasileiro, a favor do capital estrangeiro. É necessário estar atento e lutar por nenhum direito a menos.

Paulo Pimenta é jornalista e deputado federal pelo PT-RS.

5 Comentários

  • olha eu não tenho nada a falar sobre esse pessoal, deveriamos acabar com senado e camara e termos somente 54 senador e 54 dep com salario fixo de 40,000,00 é suficiente, muitos vive com 7,000,00 tem carro ,casa e apartamento e outros, queremos que faça reforma politica e nos respeita como cidadão e eleitor e não nos faça de palhaço todo dia e ano de eleições, voces jornalista e redatores sabe disto não deixam voces falarem que a nossa boca 038 9913 1097

  • Acho que o tempo que se está desempregado deve servir para, além de procurar emprego, investir em capacitação e leitura de temas diversos, inclusive história e ciência política para formar uma consciência do atual momento brasileiro, onde a população inconsciente, pagará muito caro, com perda de direitos adquiridos nos últimos anos. Abram os olhos, enquanto é tempo, pois temos uma quadrilha no poder!

    • Não sei em que mundo ou país que tu vive! Até parece que a grande massa de trabalhadores que estão desempregados tem tempo e dinheiro para estudar sociologia e história! No mínimo deve ser a única coisa que tu faz! Burguesa metida a esquerda!!!!

  • [Obs] essa é a minha opinião e as de milhões de brasileiros que estão desempregados se essa governante fizesse certo o que prometeu não teria que passar por tudo isso que ela está passando fizesse uma auditoria fiscal pra tomar tudo que foi roubado antes de ser eleita presidente de uma nação agora é tarde eu tenho muitas outras idéias pra falar mas sei que não vai ser publicado eu sei disso não mudo nada do que escrevi não posso moderar nada é só verdade e mas nada.

  • o deputado Pimenta se esquece que a acusada em seu governo junto com o Lula deixou quase 12 milhões de brasileiros desempregados e afundou o nosso país com rombo na petrobras sem contar com dinheiro que mandou pra cuba africa e outros e ainda tem coragem de dizer que é golpe? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk ver se enxerga a merda que ficou o nosso ficou. { obs]. não estou defendendo ninguém teria que ter uma nova eleição pra que outro não cometa erros assim como ela lula e o próprio Michael que comanda o nosso país.

Deixe um Comentário!