Notícias

Ipsos: Rejeição ao golpe aumenta

Instituto Ipsos: rejeição ao golpe aumenta

Ipsos: Rejeição ao golpe aumenta – Foto: Beto Barata/PR

Pesquisa do Instituto Ipsos mostra que a maioria dos brasileiros querem novas eleições; adesão ao golpe cai; confirma-se a fraude do Datafolha.

Pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos e publicada nesta terça-feira (26) pelo Valor Econômico (confira aqui), traz números importantes sobre como os brasileiros enxergam o golpe de 2016 perpetrado por Michel Temer e Cia.

Entre março e julho deste ano, o percentual dos que defendem o impeachment da presidente Dilma Rousseff caiu de 61% para 48%. Isso demonstra que, após atingir um pico com as mobilizações golpistas provocadas pela mídia tradicional, a adesão ao impeachment caiu à medida que a população se deu conta da natureza perversa do atual processo político.

O percentual de brasileiros que defendem a volta da presidenta Dilma Rousseff para a conclusão do seu mandato é maior do que o dos que desejam a permanência do interino Michel Temer. Dilma tem 20% de apoio contra 16% do vice em exercício, que é rejeitado por 68% da população brasileira e aprovado por apenas 19%. Este resultado demonstra que manter Temer no poder contraria a vontade da ampla maioria dos brasileiros.

A pesquisa também revela que os brasileiros preferem novas eleições – tese defendida por 52%. Como a realização de uma nova disputa presidencial depende da volta de Dilma, que faria uma consulta popular a respeito, os senadores não têm escolha, a não ser rejeitar o golpe em votação marcada para o início de agosto.

A pesquisa Ipsos confirma a dimensão da fraude do último Datafolha, que chegou a divulgar que 50% dos brasileiros defendiam a permanência de Temer no poder, até ser desmascarado.

1 Comentário

Deixe um Comentário!