Notícias

Adeus Lava Jato: o desmanche começou

Adeus Lava Jato: o desmanche começou

Adeus Lava Jato: o desmanche começou – Foto: Reprodução

Troca de delegados da Operação Lava Jato, ainda que explicada com detalhes e em nota pela Polícia Federal, expõe o desmanche.

Do Blog do Esmael Morais:


Adeus, Lava Jato: mas Polícia Federal nega em nota “desmanche” em Curitiba

Delegados da Operação Lava Jato, da PF, foram substituídos abruptamente. Tal mudança brusca ocorreu alguns dias depois da visita do ministro da Justiça, Alexandre Moraes, ao juiz federal Sérgio Moro.

A informação inicial da PF as trocas na Lava Jato teriam como objetivo ‘oxigenar o grupo, dando a ele um novo fôlego’.

O suposto desmanche da Lava Jato também coincide com boatos de superdelação contra juízes e ministros do Supremo e do STJ.

Em nota, a Polícia Federal jura que tudo continua como dantes e nega que haja pressão externa pelo fim da Lava Jato.

Confira a íntegra da nota:

“Considerando algumas matérias veiculadas recentemente na mídia nacional e o compromisso com a total transparência de todos os procedimentos relacionados à chamada Operação Lava Jato, a Polícia Federal vem a público prestar os seguintes esclarecimentos:

Esclarecemos que em momento algum a equipe de investigação sofreu qualquer tipo de pressão interna ou externa pela substituição desse ou daquele delegado.

De fato dois delegados estão deixando a equipe de investigação da Operação Lava Jato, mas não é verídica a informação de que a equipe dessa força tarefa esteja passando por um “desmanche”.

A PF substitui dois delegados que estavam em missão em Curitiba/PR – Eduardo Mauat da Silva (lotado no Estado do Rio Grande do Sul) e Duílio Mocelin Cardoso (lotado no Estado de Rondônia) – a quem agradece pelo trabalho realizado.

As autoridades acima serão substituídas pelos delegados Rodrigo Sanfurgo, ex-chefe da Delegacia de Combate a Corrupção e Crimes Financeiros de São Paulo, Luciano Menin, que já integrou a equipe Lava Jato em um passado recente, e Roberto Biazolli, autoridade com experiência em investigações internacionais, por ter trabalhado no Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça (DRCI). Quanto ao Delegado Luciano Flores de Lima, sua saída ocorreu a pedido do servidor e é temporária, devendo reintegrar a equipe logo após o término de sua missão junto à Coordenação de Grandes Eventos em Brasília, durante o período dos Jogos Olímpicos 2016.

Essas mudanças são opções estratégicas da coordenação, com apoio irrestrito da equipe de investigação, Administração Regional e Direção Geral da Polícia Federal, visando oxigenar o grupo, dando a ele um novo fôlego, para que os trabalhos continuem buscando cada vez mais sua superação.

Por fim, para que a sociedade se tranquilize, tenham certeza de que a Operação Lava Jato não sofrerá qualquer prejuízo em seus trabalhos investigativos e operacionais e, também tenham a ideia de nossa preocupação, a carga principal de inquéritos que estava com o delegado Eduardo Mauat da Silva foi entregue ao delegado Márcio Adriano Anselmo, conhecido por seu inquestionável trabalho junto a Lava Jato e originariamente o responsável por essas investigações”.


3 Comentários

  • CULPA DISSO TUDO ESSES COXINHAS DE MERDA ESSES ANALFABETOS, ESSAS MENTES CÉTICAS,,,,, QUE ASSISTEM OS HORÁRIOS NOBRE DA REDE GLOBO A REDE DE MANIPULAÇÃO, ACHA QUE TIRAR CORRUPTOS VAI RESOLVER ALGUMA COISA………. PARABÉNS COXINHAS DE MERDA COLOCARAM OUTROS PIORES O PMDB, PSDB ESTÃO E VÃO FAZER DE TUDO PARA USAR A BRECHA DA LEI PARA BARRAR A LAVA JATO E LIVRAR EDUARDO CUNHA DE RÉU NA INVESTIGAÇÃO DE CORRUPÇÃO TAMBÉM

  • Está tudo dominado!
    Espero que o Ministro Celso de Melo tenha consciência cívica e não se afaste nesse momento para evitar aventuras jurídicas questionáveis! Que espere a próxima eleição!

Deixe um Comentário!