Blog do Mailson Ramos

Temer: um mês de mentiras e retrocesso

Temer: um mês de mentiras e retrocesso

Temer: um mês de mentiras e retrocesso – Foto: NP

Hoje o povo vai às ruas para gritar Fora Temer! E pedirá a restituição da democracia, o fim do retrocesso e das mentiras. Queremos o nosso país de volta!

No próximo domingo (12) completa-se um mês do afastamento da presidenta Dilma Rousseff. Consequentemente, há um mês governa o país na interinidade o vice-presidente Michel Temer, cujo programa de governo é destruir tudo aquilo que herdou dos governos anteriores, sejam heranças ruins, mas principalmente as boas heranças.

Foi um mês de mentiras e retrocesso.

Não é possível esquecer-se da intransigência, mas esta, na medida do que se esperava, não surpreendeu a ninguém: é um governo comandado por gente que baba de ódio ao falar do PT e das suas conquistas ao longo dos anos. Criou-se um patrulhamento ideológico nas instituições federais para destruir tudo o que se vincule ao trabalhismo, bandeira simbólica dos governos Lula e Dilma.

É escrachada, vil e meticulosa a intervenção dos defensores do governo no parlamento. São inegáveis protetores do mandato de Eduardo Cunha e quando falam sobre o PT, lhes escorre pelo canto da boca um chorume de origem figadal. Não é apenas ódio. É medo de que o povo brasileiro acorde e veja quanta injustiça se cometeu naquela que é chamada de sua casa.

O Michel Temer não mente agora. Mente há mais de um ano, quando fingiu ser articulador político e acabou atraindo as hienas de seu partido para cima do moribundo governo; mentiu quando disse ser contrário ao impeachment; mentiu quando se sentiu um vice-presidente decorativo (porque, na verdade, aquela era uma carta de desenlace institucional para corroborar as traições e rompimentos partidários futuros).

Atualmente ele mente ainda mais e as suas mentiras trazem retrocesso. Todas as acusações que dirigiu ao PT e as promessas de que faria diferente foram ao vinagre. A primeira grande mentira foi a de que criaria um ministério de notáveis. Vieram em sua composição notáveis corruptos e uma patota de desenfreados golpistas como Geddel Vieira Lima, Wellington Moreira Franco, Eliseu Padilha, Romero Jucá, Mendonça Filho, Sarney Filho e Cia. Em duas semanas, boa parte deste governo já estava sob os olhos receosos da população e alguns deles sob a mira da Lava Jato.

O governo Temer tem o cordão umbilical ligado a Eduardo Cunha. A eventual prisão e as revelações que ele teria a fazer colocam em palpos de aranha. Por isso a preocupação e a superproteção que desempenham os cães de guarda no Congresso para evitar a cassação do presidente afastado da Câmara. O golpe é um castelo de cartas. Desmoronando. Não se passa um só dia sem que haja um desgaste. E não se passa um só dia sem que haja retrocesso.

Primeiro extinguiram ministérios importantes como o da Cultura, Controladoria-Geral da União (CGU) e Ciência e Tecnologia; não satisfeito, Temer promoveu cortes em nome do ajuste do Meirelles e ganhou do Congresso Nacional um cheque em branco no valor de R$ 170,5 bi, uma margem alargada da meta fiscal proposta pelo governo Dilma (R$ 96,7 bi) que este mesmo Congresso prometeu não aprovar.

Com o afrouxamento do déficit, Temer promoverá mais cortes. O Minha Casa Minha Vida terá um novo nome e a meta de construção de 3 milhões de moradias até 2018 cairá pela metade; o Bolsa Família poderá sofrer um corte criminoso, onde apenas 5% da parcela mais pobre da sociedade será beneficiada (uma faixa de 40 milhões de famílias perderá o benefício). Os sacrifícios que o Michel Temer exige da população ou o chicote que canta nas costas do trabalhador serve para encher as burras do Judiciário em reajustes salariais incompatíveis com a realidade brasileira. Serve para a criação de mais de 14 mil cargos federais para encher os olhos da classe política clientelista e fisiológica que se adonou de Brasília.

Os amigos navegantes que agora leem este artigo podem estar certos de uma coisa: Temer traiu a Dilma, mentiu e vai retroceder sobre direitos já legislados, ou seja, vai alterar aquilo que um dia foi votado e transformado em lei. Isso significa que a CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) pode sofrer alterações para beneficiar os grupos (empresariais) que dão as cartas no novo governo. Não se enganem com esta turma.

Hoje o povo vai às ruas para gritar Fora Temer! E pedirá a restituição da democracia, o fim do retrocesso e das mentiras. Que todos os brasileiros saibam o que está acontecendo neste país!

5 Comentários

  • Prezado Mailson Ramos,

    Como estava em destaque o presente texto neste conceituado blog, me ative a le-lo. Antes do mais não sou defensor de um governo Temer, na verdade tal situação se deu pela ineficacia da politica proposta por Dilma. Mas agora nesta situação deou meu apoio ao atual mandatário do país. Vejamos seus argumentos:
    1-) Governo de coalizão contra PT: O PMDB,PP,PSD e PR eram base do PT e o foram em todos os governos petistas, se há tal ódio porque participaram destes governos. Além do que eu sinceramente não vejo nenhuma conquista real ocorrida no governo de Lula e Dilma, mas supondo que tenha havido foi por essa base que agora vocês acusam de retirar tais “direitos;
    2-)Patrulhamento ideologico: dizer que a atual gestão interina usa esta tatica em detrimento da governata, é ridiculo, os governos petistas aparelharam todo o estado com financiamento a artistas, blogueiros, movimentos sociais e sindicatos. Há certamente a pratica de patrulamento ideolocio, mas certamente este é feito pela esquerda;
    3-)Articulação politica de Temer patrocinaou o golpe: O então VP atuou em meros 5 meses e foi responsável pela aprovação de medidas economicas defendida pelo governo Dilma, rendeu até elegios do MF, Nelson Barbosa.
    4-)Ministério formado por corruptos: realmente é um problema moral da politica brasieleira, mas não difere muito dos ministros petistas: José Dirceu, Antonio Palocci, Eunice Guerra, Gleise Hoffman e lista vai, neste ponto o melhor era não utilizar este arguneto para defender a volta de Dilma;
    5-) Aumento do Deficit previsto e aumento de cortes: Esse argumento por si só é paradoxal, se aumenta a autorização de debito significa que será aumentado os gastos e não o contrario. Eu acredito que deva sim ser cortado gastos.
    6-) Diminuição dos beneficiarios do BF: Num pais onde a população é de 210 mi, não é no minimo razoalvel que um programa para retirar as pessoas da miseria corresponda a 25 % da população, ou em numeros absolutos 55 milhões, alguma coisa está errada e este programa por si só não corrige apenas aleja sendo feito de forma tal indiscriminada. Devemos rever o programa e fazelo efetivo, que seja distribuido a quem realmente precisa;
    7-) Alteração da leis trabalhistas: O argumento utilizado é que o trabalhador é o lado oposto do empresario numa mesma moeda, mas não, o trabalhador e empresario são o mesmo lado o governo sim é o lado oposto. Os empresario são quem contratam, quem produzem as riquezas do pais, que propoe serviços e produtos uteis a população. Portanto o dever do estado era criar condições mais claras e rapidas para as empresas e não mata-las, 60% das empresas fecham em menos de 2 anos. Os responsáveis por gerar empregos são mortos, gerando instabilidade ao trabalhador e estoque ocioso de mão de obra, este é o maior problema das condições e remuneração do empregado.
    Assim meu precioso amigo acho que é valida tua opinião, somente não foi muito sincero, acho que é natural devido a ideologia mas pouco crivel no campo factível;

    Abs,

    Rafael

    • Caríssimo Rafael, se todas as discussões políticas fossem feitas no nível em que você propôs, neste espaço de comentários, – e mesmo se opondo ao que foi colocado no artigo – o Brasil não estaria enfrentando problemas políticos tão graves. Porque o que falta é discussão madura e objetiva sobre a situação do país. E não é o Temer que vai resolver; tampouco será a Dilma, se acaso ela voltar. Temos um sistema político implodido em sua base (que esperneia para tentar sobreviver) e o que o conchavo e a traição nos apresentam é um governo de retrocessos tão ineficaz quanto o anterior. Talvez as práticas administrativas deste governo tenham sido copiadas do governo Dilma, mas não estamos falando de pecadilhos de alcova; o governo que aí está tramou durante mais de uma ano a sua ascensão ao poder e quando o fez, atirou 54 milhões de votos no lixo. Os principais jornais da Europa não utilizam a palavra impeachment para falar da situação brasileira. Eles se referem a cout d’etat (golpe de Estado). Se Dilma sofresse um impeachment por razões óbvias e esclarecidas, a própria democracia protegeria o Temer; haveria revanchismo, sim, mas seria sufocado pela realidade dos fatos. O que acontece neste país é muito grave e o Sr. Michel Temer não terá paz para governar, por sua ilegitimidade. Concordo com muitas das suas considerações, mas no plano geral continuo posicionado contra este governo urdido por camarilhas e não eleito pelo povo brasileiro.
      Agradeço-o sinceramente pela participação e o convido a participar mais vezes.

      • Prezado Mailson,

        Te chamo de amigo, cuja a definição é manter relação amistosa. Infelizmente hoje as pessoas que não concordam integralmente conosco são tratadas como inimigas. Agradeço a atenção que dispensou ao responder meu comentário (digo até pretenso) . Se vermos bem as razões que nos une são maiores do que as divergências que nos separam. Assim como você é todos espero termos um país melhor, com uma sociedade melhor, acredito que podemos chegar lá somente visualizo um caminho diferente para este destino .
        Fico agradecido e gostaria muito de participar dos debates propostos.

        Um forte abraço,

        Rafael

  • queremos nosso voto de volta….Moro sei que és partidário….mas a mídia insiste em divulgar teu ego, então quem sabe?….vou denunciar uma quadrilha que roubou os votos de mais da metade do povo Brasileiro …queremos investigações e os bandidos presos

Deixe um Comentário!