Blog do Mailson Ramos

Lula nas mãos do Moro e a sinuca de bico

Lula nas mãos do Moro e a sinuca de bico

Lula nas mãos do Moro e a sinuca de bico – Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

O juiz Sérgio Moro recebeu de volta as investigações contra o ex-presidente Lula; mas estará sempre numa sinuca de bico: livre, Lula lidera; preso, vira herói.

Um amigo questionava, noutro dia, a divinização de Lula. E indagava-se: “Como é possível que um político arrebate tantas paixões durante tanto tempo?” Naturalmente a resposta é uma só: o Lula não arrebata paixões somente porque construiu uma base social sólida; ele é a representação inequívoca primeiro da utopia de uma vida mais digna para o pobre e depois, por gestos concretos, a ascensão deste povo pobre a um lugar definido na sociedade brasileira.

É contra isso que Moro vai ter de lutar. Porque se não pode provar, ao longo destes dois anos de Lava Jato, que Lula é o mentor deste sistema corrupto, não vai ter tranquilidade para prendê-lo, concretize-se ou não a queda da presidenta Dilma Rousseff. E, de certo modo, a descrença na Justiça é um quesito que impõe ao juiz de Curitiba mais cautela. Portanto, como na primeira oportunidade, quando levou Lula sob vara para depor, Moro colocou o lulismo em alerta.

Aqueles colunistas do grande imprensa ou os doutos intelectuais da direita disseram que o lulismo estava sepultado após o massacre midiático sofrido por Lula. Ora, ao conduzir coercitivamente o ex-presidente para depor, Moro teve uma demonstração muito clara da resistência que enfrentará caso isto se repita. Atualmente a militância se sente enojada do processo de impeachment que imputam à Dilma Rousseff, dos desmandos na Comissão, no avançar de um processo que jamais deveria ter existido. A prisão de Lula abriria espaço para uma conflagração civil.

Além da presença icônica de Lula, as pesquisas de intenção de voto para 2018 ainda refletem a sua preferência para a maioria do eleitorado. Livre, Lula continuará exercendo este simbolismo indestrutível; preso, será idolatrado duplamente. Quem conhece a história de Mandela, não hesitará em vincular as duas trajetórias. Os inimigos do ex-presidente sabem que prendê-lo não será a melhor alternativa. O Lula não é um político de ponta de esquina. É reconhecido na África, na Europa, nos confins da China; a sua história não é apenas a ficção recontada no cinema ou em biografias. É muito mais.

O juiz Sérgio Moro recebeu do STF as investigações contra Lula. Não deve agir nos próximos dias; a intenção é esperar a queda de Dilma e o enfraquecimento da militância. Então, o bote certeiro. Entretanto, jararaca é boa de bote e também sabe se livrar deles. Moro, na mesa do sinuca, está entre tacadas que podem fazê-lo perder o jogo. Bola de bico não cai na caçapa.

5 Comentários

  • a soberba e a intolerância da direita tem um nome…. “ganancia”….e nossa mídia manipuladora de massas golpista, favorece e incita ao “ódio”….temos uma doença endêmica no Brasil alimentada pelos poder do dinheiro, influencia e ausência de caráter ….a ” intolerância”….e os poderes da política corrupta com a conivência do Judiciário tem uma historia de sucesso a mais de 200 anos ….parabéns direitistas o sucesso da corrupção continua suas obras cada vez mais evidentes……….da qual eu não compartilho

    • … se substituir “direita” e “direitistas” por direita e esquerdistas, no texto, este continuará verdadeiro, na tese … Haja hipocrisia e argumentações ad hoc… Bem a cara de nossa política. Tô cheio.

Deixe um Comentário!