Blog do Mailson Ramos

O Legislativo e o Judiciário em indiscutível promiscuidade

O Legislativo e o Judiciário em indiscutível promiscuidade

O Legislativo e o Judiciário em indiscutível promiscuidade – Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Em nome de uma coalizão entre os poderes, fixada pelo dinheiro, o Legislativo e Judiciário travam uma parceria indiscutível por sua promiscuidade. O chicote vai cantar mesmo é no lombo do trabalhador.

Na última semana de abril, o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, se reuniu com líderes da Câmara e obteve apoio para o reajuste do judiciário. Aqui, o Jornal do Brasil noticiou que Cunha acelerou o reajuste dos servidores do Judiciário quando já era réu no STF.

Vetado por Dilma, este reajuste – somado a outros que a Câmara chancelou na noite de ontem (1º) – alcançou a bagatela de R$ 58 bilhões de reais.

Os ministros do STF ganharão a partir de agora R$ 39.293 e assim se explica a frase de Renan Calheiros na gravação feita por Sérgio Machado e divulgada aqui em que Dilma fala da “urgência” de Lewandowski em “resolver os problemas STF”:

RENAN:

Não negociam [STF] porque todos estão putos com ela. Ela [Dilma] me disse e é verdade mesmo, nessa crise toda – estavam dizendo que ela estava abatida, ela não está abatida, ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável, ela está gripada, muito gripada – aí ela disse: ‘Renan, eu recebi aqui o Lewandowski, querendo conversar um pouco sobre uma saída para o Brasil, sobre as dificuldades, sobre a necessidade de conter o Supremo como guardião da Constituição. O Lewandowski só veio falar de aumento, isso é uma coisa inacreditável’.

O rombo que os deputados aprovaram cairá sobre as costas do trabalhador e em cortes de programas sociais como já está acontecendo. Não é um governo que trabalha para as classes desfavorecidas.

Enchendo as burras do judiciário, este poder que cada vez mais nos envergonha com exemplos de parcialidade, os deputados dão uma resposta bem clara de que o problema era sim a Dilma Rousseff. Porque ela não compactuaria com esta promiscuidade.

Este também é um sinal claro de que Cunha continua comandando das sombras. O reajuste aprovado é um acordo fixado por ele, mesmo afastado pelo STF.

O governo golpista, representado na imagem acima por seu líder na Câmara, André Moura (PSC-SE) esteve de acordo com o reajuste, mesmo com o rombo de R$ 170 bi por ele declarado. O que isso significa?

Significa que você, homem de bem que foi às ruas pedindo o impeachment de Dilma Rousseff e a queda do PT, vai ter pela frente um governo de “mamatas”, promiscuidade e conchavos para “lenhar” o lombo do trabalhador em benefícios das classes dominantes.

Por isso dizíamos neste mesmo site que a era preciso analisar não somente a queda de Dilma, mas quem e que poder tramavam para assumir o seu lugar. Está aí!

Deixe um Comentário!