Blog do Mailson Ramos

Cunha a caminho do cadafalso: Já vai tarde!

Cunha a caminho do cadafalso: Já vai tarde!

Cunha a caminho do cadafalso: Já vai tarde! – Foto: Lula Marques/Agência PT

Há mais de um ano ele comanda a Câmara dos Deputados – seja presencialmente ou por suas pressões, chantagens e manobras. Será este o final de Eduardo Cunha?

Eduardo Cunha não se sustenta por ser um chantagista ou por ter a habilidade de manobrar boa parte da câmara dos Deputados com a sua política; a verdade é que Cunha construiu um séquito de dependentes, voraz na luta como uma tropa de choque e terrivelmente complacente com a corrupção que o cerca.

Não era de se estranhar, por exemplo, que este séquito de políticos domesticados provocassem verdadeiras batalhas campais ao longo do processo de construção do relatório que inevitavelmente pediria a cassação do presidente afastado da Câmara. A acidez e a demora, o retardo e o impedimento surgiram para salvar o grande artífice da autorização do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

E depois de muito tempo, um questionamento surgiu: quantas vidas teria Eduardo Cunha? De quantas situações mais ele conseguiria se salvar? De quantos crimes imputados ele conseguiria fugir? Quantas oportunidades ele teria das instituições da Justiça para evitar o cadafalso? Quando viria a resposta positiva da ofensiva do bom senso contra este homem que enredou a política brasileira em nome de interesses pessoais?

Parece-nos que a guilhotina se aproxima de Cunha. E não é somente a cabeça dele que está em jogo; neste momento, no Palácio do Jaburu, a cabeça de Temer é a que ferve. O presidente interino sabe que o comparsa não é destes que caem sem ter o dedo no gatilho. Há alguns dias, não se fala sobre outra coisa em Brasília. O crédito que alguns parlamentares deram a Eduardo Cunha, com seu poder onipresente, será utilizado também para referendar o que ele disser em nome da vingança.

Hoje não houve mais espaço para manobras regimentais; não houve tempo para difamar petistas e colocar sobre as suas costas o erro alheio. Não houve chacota ou mesmo tempo para aquela politicalha de Bolsonaro e seus micos de auditório. Compraz dizer que mesmo a Tia Eron, num momento de lucidez, cravou uma resposta que é digna de todos os brasileiros e brasileiras: não ao Cunha! Não somente neste dia de hoje, mas para que nunca mais a Câmara seja presidida por alguém que crie pautas-bombas.

O estrago feito pela corrupção não tem face partidária. Tem faces pessoais e tem moldes de projetos de manutenção do luxo, da ganância, da vida abastecida com verbas públicas. Se todo corrupto amargasse a dor da perda do último centavo resultado dos seus crimes este país seria diferente. Mas já se sente o prazer de ver Eduardo Cunha caminhando em direção ao cadafalso. E não hesitaria em gritar: já vai tarde!

Deixe um Comentário!