Blog do Mailson Ramos

O que há de novo no Governo Temer? Nada!

O que há de novo no Governo Temer? Nada!

O que há de novo no Governo Temer? Nada! – Foto: Marcos Corrêa

O Governo Temer não tem nada de novo, a não ser a sede por destruir tudo aquilo que foi conquistado nos últimos tempos a duras penas.

A derrubada do governo Dilma expõe intolerâncias políticas que deixariam qualquer extremista de cabelo em pé. Dos preconceitos à aversão, Dilma, Lula e PT se tornaram figuras dignas de hostilização das mais variadas formas e graus de intensidade. Resta saber como estes mesmos críticos se comportarão com Michel Temer.

Hipocrisia tem limite.  A maioria dos ministros escolhidos por Temer está ou esteve envolvida em escândalos de corrupção. Os algozes de Dilma são aqueles que engrossam as fileiras do novo governo, quando não os mesmos ratos que aportaram a tempo do barco naufragado, como Gilberto Kassab, oportunista de primeira linha, para ocupar cargos.

Tudo em nome de apoio para que o impeachment passasse na Câmara – e por consequência – tivesse êxito no senado. A política de toma lá dá cá criticada por todos foi a primeira a ser institucionalizada por Temer durante as dezenas de reuniões realizadas no Palácio Jaburu, neste ínterim. Um homem que entrega até as calças para governar não é um símbolo de poder, mas a representação da negociata de cargos.

Qual a diferença entre ele e Dilma? A diferença é que Dilma, em sua resistência aos conchavos típicos de Brasília, pouco se moldou a este estilo. Quando se disse que ela distribuiu cargos antes da votação do impeachment na Câmara para se salvar, era muito mais uma última tentativa para salvar o governo.

Existe, entretanto, uma diferença gritante entre os dois governos. Temer já se ajoelhou aos pés dos empresários da Fiesp, entregue de corpo e alma ao mercado financeiro e aos interesses das elites; é um governo que voltará a olhar com benevolência para os monopólios da mídia, intensificando a disparidade entre os gigantes da comunicação e a mídia alternativa.

O amigo e a amiga navegante certamente se lembram dos anúncios da Fiesp nos jornalões antes da votação do impeachment na Câmara; a campanha Impeachment Já foi impressa também em revistas e expostas também em portais de notícias da grande mídia. Empresários colocaram jatinhos à disposição de deputados na maioria dos Estados brasileiros para que eles não deixassem de comparecer à votação no dia 17/04.

E o que significa tudo isso? Significa que o governo Temer está comprometido até o pescoço com estas forças que se mobilizaram para derrubar a presidenta Dilma. Não é difícil entender porque a velha política, reformada aos pedaços, necessita destes acordos. Durante a madrugada, vários senadores falaram em reforma política, em alterações na Constituição, em revisões na lei. Tudo balela. O que o Congresso Nacional mais quer é que tudo continue da mesma maneira.

O que pode sair de um governo com Geddel Vieira Lima, José Serra, Wellington Moreira Franco, Eliseu Padilha e Mendonça Filho? A resposta não será imediata. Mas ela virá com o tempo.

3 Comentários

Deixe um Comentário!