Blog do Mailson Ramos

O show de Janaína e a morte do impeachment

O show de Janaína e a morte do impeachment

O show de Janaína e a morte do impeachment – Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Ontem foi divulgado um vídeo em que a Dra. Janaína Paschoal, musa do impeachment, dava um discurso exibicionista. Estas pessoas querem palco político, muito mais do que derrubar a presidenta da República.

O descontrole que a revista IstoÉ imputou à presidenta Dilma foi visto ontem (4), em vídeo divulgado na internet. A advogada Janaína Paschoal, que peticionou o impeachment ao lado de Miguel Reale Jr e Hélio Bicudo, deu um deprimente espetáculo de exibicionismo.

O amigo navegante vai dizer que estamos cometendo é misoginia, como no crasso exemplo da revista IstoÉ e sua matéria do último fim de semana. Não é misoginia porque as imagens refletem claramente as intenções e excrescências da referida advogada. No caso de Dilma, não se comprova o referido “descontrole”.

E a referência à cobra – não fica claro se é a Dilma, o PT ou a Jararaca – é um motivo muito claro para entender o ódio inoculado na classe média desde a eleição de 2014. Aquilo foi muito mais do que uma expressão de descontentamento. O que Dra. Janaína representava ali era a elite que está nas ruas e é capaz de qualquer coisa para derrubar a presidenta: o impeachment é só uma delas.

O messianismo no discurso meio religioso, meio espetacularizado de Janaína, nos faz pensar como celebridades instantâneas da Direita adquirem um antagonismo irrefreável ao PT e por isso são incensadas, endeusadas pela mídia. É um processo rápido e que não se compara – definitivamente não se compara – aos heróis desta pátria, forjados em longas e intensas batalhas políticas e sociais, e não em poucos meses.

Heróis forjados pela mídia brasileira são nada mais que anti-heróis. São verdadeiros piratas alçados em ambiente de adoração popular. Este é o espaço que a Janaína Paschoal notadamente quer ocupar.

Acontece que também ontem o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, mostrou uma segurança impecável ao defender a presidenta Dilma Rousseff na Comissão de Impeachment. Fez em quarenta minutos tudo aquilo que não fez em mais de dois anos no ministério da Justiça. E isso refreou os ânimos da oposição. Como desgraça pouca é bobagem, no fim da noite o vídeo e achincalhe da musa do impeachment.

Poucos discursos são capazes de reverter uma produção de sentido tão recheada de imagens e sons específicos de um vídeo icônico. Vão dizer que isso não descaracteriza o pedido de impeachment, que é coisa de petista, enfim…

Disse o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE) que a Janaína Paschoal fez a defesa da denúncia na Comissão do Impeachment falando como se fosse uma deputada e não uma advogada. Ela discursou à oposição. Que ninguém se engane: nesta toada vem por aí candidatos como Kataguiri, Marcello Reis e a própria Janaína. O que querem é só palco político. Quem viver verá!

8 Comentários

  • Se a REVISTALHA QUANTO É , disse que a Presidenta Dilma está com problemas mentais, esta advogada está LOUCA DE PEDRA, até o velhinho hélio TUCANO bicudo, ficou com medo, e olha que no quadro ao fundo um padre já estava tentando exorcizá-la, não conseguiu, discurso típico de COXINHAS desesperados.

  • Janaína está mesmo desequilibrada. Mas o termo “histérica” é machista sim. O termo tem origem numa crença machista de que havia uma doença feminina originada no útero, com convulsões. Os ataques histéricos eram próprios das mulheres, segundo essa crença.
    Infelizmente, nossas hostes reproduzem o tempo todo práticas opressoras, não somos tão diferentes dos coxinhas como acreditamos ser.

    • El término no es machista, es un término que viene de los antiguos griegos que constataron que mujeres con falta de sexo padecían de convulsiones descontroladas. (hyster significa útero). Al hombre no se le puede aplicar ese término pues carece de útero.
      La política es un campo minado por reptiles abyectos que tienen por paradigma el pez grande se come al pez pequeño.
      A advogada Janaína Paschoal está en ese campo minado, ella misma ha lanzado chumbo grosso contra Dilma y Lula; entonces debe estar preparada para recibir o esquivar chumbo grosso como retaliación.
      Es triste constatar como un “varón” del “género” masculino defiende posiciones de “lo políticamente correcto” sólo para parecer simpático a las féminas y así ver si puede “ligar” algo con ellas.

Deixe um Comentário!