Notícias

Grupo oferece R$ 1.000 por hostilidade a Ciro

Grupo oferece R$ 1.000 por hostilidade a Ciro

Grupo oferece R$ 1.000 por hostilidade a Ciro – Foto: bfcosta

O MEB (Movimento Endireita Brasil), grupo que prega o impeachment da presidenta Dilma, ofereceu R$ 1.000 para quem hostilizasse Ciro Gomes e enviasse o vídeo.

E tem gente achando que não o impeachment não virou um negócio. Além disso, propaga-se o ódio com tamanho fervor que já não se sabe aonde isso vai parar.

No Estadão:


Grupo pró-impeachment oferece R$1.000 por hostilidade contra Ciro Gomes

Em mensagem em rede social, o Movimento Endireita Brasil disse que Ciro Gomes tomava um ‘Barolo de centenas de reais a garrafa’ durante jantar em restaurante de São Paulo.

O Movimento Endireita Brasil, um dos grupos que pregam o impeachment da presidente Dilma Rousseff, ofereceu, em mensagem postada nas redes sociais, um pagamento de R$ 1.000 para quem hostilizasse o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) enquanto ele jantava em restaurante de São Paulo na sexta-feira.

“O Ciro Gomes foi visto agora no restaurante Due Cuochi, do Itaim, tomando um Barolo  de centenas de reais a garrafa. Se alguém estiver perto, hostilize o cara. Mas ele é esquentadinho, filmem. O MEB paga R$ 1000 pelo vídeo”.

1459615559923

Foto: Reprodução/Facebook

A assessoria do ex-ministro diz que ele estava no restaurante, mas tomou gin tônica. Quando a mensagem começou a circular, Ciro Gomes foi alertado por assessores, mas permaneceu no local e teve “uma noite agradável”. Não houve registro de hostilidade. O ex-ministro avalia a possibilidade de abrir um processo.

Segundo Patrícia Brandão, do Movimento Endireita Brasil, a mensagem foi publicada por um dos administradores da página do grupo no Facebook, mas depois retirada. “Nós rechaçamos essa conduta”, diz.


P. S. do Nossa Política: Segundo informações do site Brasil 247, o mentor e fundador do Movimento Endireita Brasil (MEB) é um jovem chamado Ricardo Salles, que durante algum tempo foi um dos homens de confiança do governador Geraldo Alckmin (PSDB); Salles exerceu a função de secretário particular de Alckmin e era responsável por cuidar da agenda do tucano.

3 Comentários

  • O Brasil hoje chefiado pela máfia casariana americana,com os magos negros da sociedade secreta os jesuítas, causando o maior caos,para implantação da nova ordem mundial, e os brasileiros burros mal informados caem nesse jogo de xadrez das sombras, abre o olho cegos,e guias de cegos.

  • O pau que dá no Chico dá NP Francisco. Infelizmente o Brasil pode virar uma Síria,Iraque,Afeganistão ,assim que o impeachment for definido pró ou contra,todos nós vamos perder.

Deixe um Comentário!