Notícias

Janaína recebeu R$ 45 mil do PSDB

Janaína recebeu R$ 45 mil do PSDB

Janaína recebeu R$ 45 mil do PSDB – Foto: Moreira Mariz/Agência Senado

Para forjar peça de impeachment sem crime de responsabilidade, portanto um golpe, Janaína Paschoal recebeu R$ 45 mil e disse aos senadores que não considera tucana.

Colunistas alegam que Janaína cometeu desvio de conduta: falou de tudo, menos do que deveria que era a denúncia. Mas como explicar um crime que não houve?

Do Brasil Post:


Explicação de Janaína sobre impeachment tem alongamento, choro e defesa pessoal

Convidada ao Senado para explicar o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, a jurista Janaína Paschoal, co-autora do pedido, usou a maior parte do tempo para se defender.

Como se fosse entrar em um ringue de luta, antes de iniciar sua fala, ela se aqueceu:

Aos senadores, a professora de Direito iniciou dizendo que precisava se defender das acusações que vinha sofrendo. A professora admitiu que trabalhou no governo Fernando Henrique Cardoso, mas disse que nunca viu o ex-presidente. Afirmou também que trabalhou no governo de Geraldo Alckmin, em São Paulo, e que recebeu R$ 45 mil do PSDB para elaborar um parecer, mas enfatizou que o impeachment é apartidário.

“Esses esclarecimentos são importantes, porque a Nação está acompanhando esta sessão, e eu estou sofrendo muitas acusações nos últimos tempos, inclusive de golpista. Então, além de fazer a acusação aqui, eu preciso me defender. (…)

Eu quero só esse esclarecimento à Nação, porque foi a Nação que pagou a minha passagem. Hoje eu estou aqui convidada pelo Senado, o Senado pagou minha passagem; foi o povo brasileiro que pagou a minha passagem, então eu tenho que dar esse esclarecimento à Nação.”

Janaína se emocionou em alguns momentos e chegou a dizer que chorou quando viu a entrevista da presidente Dilma Rousseff ao Fantástico quando ela disse que queria ser bailarina.

“Vocês acham que eu fico feliz de vir aqui? Que eu não teria gosto de ver uma mulher ter sucesso na Presidência? Eu sou brasileira, amo essa terra mais que tudo”, emendou.

Ela também aproveitou para comentar o ato na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da Universidade de São Paulo (USP), que virou hit na internet. No vídeo, ela questiona se “queremos servir a uma cobra ou ao dinheiro”. “O Brasil não é a ‘República da Cobra’! Nós somos muitos Hélios, Janaínas, Celsos. Eles derrubam um, levantam-se dez. Não vamos deixar essa cobra continuar dominando”, disse.

“Quando falei lá no Largo do São Francisco: somos muitos Hélios, muitos Migueis e muitas Janainas, disseram que eu estava bêbada. Eu não estava, não; eu estava muito sóbria”, reiterou.

(…)


2 Comentários

Deixe um Comentário!