Notícias

Dilma admite aceitar novas eleições, diz jornalista

Dilma admite aceitar novas eleições, diz jornalista

Dilma admite aceitar novas eleições, diz jornalista – Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Entre renunciar, ceder ao golpe ou sofrer o impeachment, a presidenta Dilma começa a ceder à realização de novas eleições gerais. É o que diz a jornalista Vera Rosa.

No Estadão:


Dilma já admite defender nova eleição

A presidente Dilma Rousseff admite, nos bastidores, a possibilidade de defender a proposta de convocação de eleições presidenciais em outubro para encurtar seu mandato, mas o governo ainda avalia o melhor momento de assumir a estratégia. Ministros próximos a Dilma afirmam que isso já é “fato consumado” porque a presidente não terá governabilidade com o País dividido, mesmo se não sofrer impeachment no julgamento final do Senado.

A ideia conta com o apoio da maioria do PT e até do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que há anos trava disputa com o vice-presidente Michel Temer sobre os rumos do PMDB. Até recentemente, Dilma resistia a aceitar a abreviação do seu mandato, mas, de acordo com auxiliares, começou a perceber que precisa fazer um gesto de “pacificação” nacional. Ela descarta a renúncia, mas acha que a proposta de novas eleições diretas também pode ser uma contraofensiva ao que chama de “golpe”.

Em conversas reservadas, ministros do PT argumentam que o plano, por si só, tem o condão de pôr Temer contra a parede. “Ele vai dizer que é contra a convocação de novas eleições diretas?”, perguntou um deles. Além disso, tudo será feito para atrair o PSDB do senador Aécio Neves (MG), que quer vetar a participação de integrantes de seu partido em eventual governo Temer.

(…)


Deixe um Comentário!