Notícias

Câmara votará com urgência reajuste do Judiciário

Câmara votará com urgência reajuste do Judiciário

Câmara votará com urgência reajuste do Judiciário – Foto: Antônio Cruz/ABr

A Câmara dos Deputados poderá votar com urgência o projeto de reajuste em até 41% do salário dos servidores do Poder Judiciário.  Crise?

Se for aprovado, este projeto terá impacto de R$ 1,1 bilhão no orçamento de 2016.

Saiu no Globo:


Câmara votará com urgência reajuste de até 41% do Judiciário

A Câmara dos Deputados poderá votar na semana que vem o projeto que reajusta o salário dos servidores do Poder Judiciário. Os deputados aprovaram nesta quinta-feira, por 277 votos a 4, a urgência do projeto, uma das “pautas-bomba” que o governo tinha conseguido segurar, que aumenta o salário da categoria entre 16,5% e 41,7% de forma escalonada. O projeto, que terá impacto de R$ 1,1 bilhão no Orçamento de 2016, agora poderá ser pautado a qualquer momento diretamente no plenário, sem ter que passar por comissões.

Pelo texto, o aumento a ser concedido será escalonado e pago em oito parcelas, de janeiro de 2016 – incluindo o pagamento retroativo aos meses deste ano – a julho de 2019. Líderes de diversos partidos se reuniram recentemente com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, e deram apoio à proposta. Na justificativa de seu projeto, o STF diz que as carreiras de nível superior dos Poderes Legislativo e Executivo têm remuneração variando de R$ 14,2 mil e R$ 26 mil, para os níveis inicial e final. E que a remuneração de um Analista Judiciário está defasada, atualmente entre R$ 8,8 mil e R$ 13,2 mil.

No ano passado, um veto de Dilma impediu aumentos nas faixas de 53% a 78% para as várias carreiras do Judiciário. O Executivo alegou falta de recursos para bancar esse aumento. Um acordo entre Executivo e Judiciário, após o veto, derrubou essas faixas para patamares de 16,5% a 41,7%.

Em novembro de 2015, em uma vitória apertada do governo, o Congresso manteve, por uma diferença de apenas seis votos, o veto de Dilma ao reajuste dos servidores. A proposta concedia um aumento médio de 56% à categoria, chegando em alguns casos a 78,56%. A derrubada deste veto causaria um rombo de R$ 36,2 bilhões aos cofres públicos em quatro anos, segundo o Ministério do Planejamento. A área econômica trabalhou

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse nesta quinta-feira que ainda não tem acordo para votar o projeto que reajusta o salário dos servidores do Judiciário.

– O compromisso dos líderes foi votar a urgência agora, não o mérito. Não sei (quando será votado o projeto), vai depender de várias conjunturas. Não tem acordo ainda para a votação do mérito – disse o peemedebista.

(…)


1 Comentário

  • Pois é… Por outro lado o Sr. ‘Temer – ário’ já está pensando em cortar nos reajustes dos ‘aposentados’ pelo INSS, ou mesmo acabar com os mesmos. Porque não pensam em ‘cortar ou acabar’ com as ‘APOSENTADORIAS’ dos “MARAJÁS” dos ‘ex-presidentes, ex-governadores, ex-senadores, ex-deputados, ex-desembargadores, ex-juízes, ex-servidores públicos federais, etc. etc., que, na REALIDADE é um dos problemas estruturais que AFETAM O PAÍS E DESEQUILIBRAM QUALQUER ORÇAMENTO ???… Nisso eles NÃO PENSÃO NEM EM SONHOS… Agora votar REAJUSTES DE mais de 40% com URGÊNCIA, para alguma ‘classe’ de privilegiados eles fazem !!!… Até quando o povo brasileiro irá suportar esse ‘congresso’ de aproveitadores que numa grande parte nem votos para se elegerem têm, tendo de serem ‘empoleirados’ de ‘carona’, nos votos partidários ?… Até quando o achincalhe desse VERGONHOSO congresso de ‘ineptos’ comandados por esse ‘bandido mafioso’ ???… Até quando ????… Acorda Brasil !!!

Deixe um Comentário!