Notícias

(Vídeo): Lula em Fortaleza

(Vídeo): Lula em Fortaleza

(Vídeo): Lula em Fortaleza

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa, neste sábado (2), de um grande ato em defesa da democracia e contra o golpe em Fortaleza, no Ceará.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi às ruas, neste sábado (2), em Fortaleza (CE), para um ato em favor da democracia e contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Durante a manifestação, ele cobrou responsabilidade do vice-presidente da República, Michel Temer.

“Eu perdi muitas eleições. E eu quero que ele (Temer) aprenda sobre as eleições. O Temer é um professor de direito e sabe que o quê estão fazendo é um golpe. E isso, ele sabe que vão cobrar é dos dos filhos dele, é do neto dele amanhã. Porque a forma mais vergonhosa de chegar ao poder é tentar derrubar um mandato legal“, condenou Lula.

O ex-presidente ainda garantiu ao povo que, se o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovar, esta semana ele assumirá a Casa Civil para contribuir com o governo Dilma. “Quinta-feira, eu estarei assumindo a Casa Civil, se a Suprema Corte aprovar, para ajudar a presidente Dilma, andar de mãos dadas com ela e com vocês, para criar condições de melhorar a vida do povo. Nós temos que garantir a governabilidade à Dilma”, disse.

Ele cobrou que os opositores ao governo expliquem os motivos de tanto “ódio” contra Dilma.

“Será que é ódio por que a empregada doméstica passou a ter direito neste país? Será que é ódio por que filho de pobre, negro, da periferia, passou a fazer faculdade? Será que é ódio por que 22 milhões de empregos foram gerados em 12 anos? Será que o ódio é por que todos os trabalhadores organizados tiveram aumento de salário? Será que é por causa do Fies, do Pronatec, das escolas técnicas, do Minha Casa Minha Vida, do Bolsa Família e do aumento real do salário mínimo: Eles precisam explicar porque tanto ódio da primeira mulher que preside o país”, questionou o ex-presidente.

“Eu estou estranhando um pouco o que está acontecendo no nosso país. Eu completei 70 anos de idade. Vivo nesse país fazendo política e nunca vi um clima de ódio estabelecido no país como está estabelecido agora. Aqueles que amam a democracia aqueles que gostam de fazer política querem que se respeite a coisa mais elementar, que é o respeito ao voto popular que elegeu a Dilma”, completou.

(…)

Fonte: Agência PT de Notícias

5 Comentários

Deixe um Comentário!