Blog do Mailson Ramos

Temer faça como o PMDB e entregue o seu cargo!

Temer faça como o PMDB e entregue o seu cargo!

Temer faça como o PMDB e entregue o seu cargo! – Foto: Valter Campanato/ABr

Está claro que o vice-presidente da República, Michel Temer, ao retirar o apoio do PMDB ao governo, declara guerra à própria presidenta. Se tivesse hombridade, ele é quem deveria renunciar.

O vice-presidente Michel Temer deveria renunciar. A presidenta Dilma não precisa de um vice que conspira contra ela a céu aberto.

O governo não precisa de um vice que se enclausura na residência oficial e só sai de lá para cumprir compromissos seus.

O brasileiro mais simples já comenta em seus círculos que Temer só aceitou ser vice de Dilma pensando em usurpar o poder. Como questionou ontem um amigo na porta de um boteco: “Se ele quer retirar o apoio do seu partido ao governo agora, por que aceitou ser vice em 2014?”

Eu respondo: porque o Temer não tem voto. Os 54 milhões que elegeram Dilma vão cair em seu colo. Naturalmente ele não fez mais do que conspirar com o Cunha e o Renan.

Desde a melancólica carta escrita para a Dilma, Temer não fez mais nada além de se encontrar com oposicionistas e adversários declarados do PT e do governo.

Tivesse ele um pouco de hombridade renunciaria.

Admitiria numa carta tão melancólica quanto a que escreveu há alguns meses que não tem condições de continuar ocupando o cargo de vice-presidente.

Mas o que o Temer quer é poder e assumir o lugar da Dilma valendo-se das patranhas que figuras do seu partido armaram para inviabilizar o governo Dilma.

No reduto eleitoral de Temer ele não teria votos para chegar à presidência. Melhor é espiar os votos da Dilma como a raposa espiava as uvas, na fábula de Esopo.

Certo de que, sem o apoio do PMDB, que deixará o governo, Dilma será afastada neste processo de impeachment armado ardilosamente, Temer espera o cacho de uvas cair em sua boca.

Se a Dilma não cair, as uvas também não cairão. E o Temer vai dizer que jamais conspirou.

8 Comentários

Deixe um Comentário!