Notícias

Manifestantes fazem protesto em sede da Rede Globo

Manifestantes fazem protesto em sede da Rede Globo

Manifestantes fazem protesto em sede da Rede Globo – Foto: Folhapress

A manhã de domingo foi movimentada em frente à sede da rede Globo, no Rio de Janeiro; no Twitter, a tag #OcupaRedeEsgoto foi ao trending topics.

No Jornal do Brasil:

Em defesa de Lula, manifestantes protestam em frente à Rede Globo

Na manhã deste domingo (6), centenas de pessoas se concentram em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio, em protesto contra a emissora e apoio ao ex-presidente Lula. Os manifestantes exibiram cartazes com críticas à Globo, citando triplex da família Marinho em Paraty, e ainda uma réplica de uma jararaca, numa alusão à frase de Lula (“Quiseram matar a jararaca, mas acertaram no rabo”) a respeito da 24ª fase da Operação Lava Jato.

Lula foi o alvo da operação deflagrada na última sexta-feira (6). Contra ele, foi expedido um mandado de condução coercitiva para que prestasse depoimento na Polícia Federal. A operação deflagrou protestos em várias cidades do país contra e a favor de Lula.

A manifestação deste domingo foi pacífica e contou, de acordo com informação extraoficial da Polícia Militar, com cerca de 300 pessoas. Na avaliação de dirigentes petistas, eram mais de 2 mil.

Ao som de gritos como “A verdade é dura, a Rede Globo apoiou a ditadura!” e “O Lula é meu amigo, mexeu com ele mexeu comigo!”, os manifestantes tomaram a rua Von Martius até o final da manhã, quando começaram então a se dispersar.

Um manifestante fantasiado de bruxa, com um grande nariz preso ao rosto, dizia que representava o Partido Social Democrático Brasileiro (PSDB) e os tucanos. Outros carregavam uma grande jararaca de papelão e pano numa alusão à declaração do ex-presidente, feita em entrevista após a condução coercitiva pela PF: “Se querem matar a jararaca, têm de bater é na cabeça, não no rabo. Porque isso só a deixa mais brava”.

A farmacêutica Inês Severino, 54 anos, vestia uma camisa da presidente Dilma Rousseff, ao mesmo tempo em que exibia uma enorme bandeira de sua campanha à reeleição em 2014: “É um absurdo o que está acontecendo. A parcialidade da mídia é algo escandaloso, como podem atacar assim a imagem do maior líder político que este país já teve (referindo-se a Lula)?” questionou. Já Fábio Ecker, 40 anos, acredita que agora é a hora do partido se reerguer: “Está na hora do PT reagir, parar de só ficar tomando pancada. Estamos com Lula!”

Os manifestantes pediram também a reação da presidente Dilma Rousseff. Veículos que passam pelo local se dividem entre apoio e críticas ao protesto. Um carro de som foi posicionado em frente à sede da emissora. Em discursos, os manifestantes reclamam sobre a transformação de uma concessão pública de TV em “um partido fascista”.

Para o manifestante Ricardo Montenegro, professor da rede estadual de ensino, os manifestantes presentes à Rua Von Martius, no Jardim Botânico, estavam ali na expectativa de barrar o “golpe” que está sendo tramado contra o povo brasileiro por parte do Judiciário. “É contra esse golpe sim, um golpe que está sendo articulado no Judiciário contra as garantias individuais e contra a democracia tão duramente conquistada depois da ditadura”.

Também presente à manifestação, o prefeito de Maricá e presidente estadual do PT, Washington Quaquá, afirmou que o “sequestro” de Lula pela PF uniu ainda mais o partido. “O sequestro promovido pelo juiz Sérgio Moro foi também o sequestro da democracia e, por isso mesmo, o país está mais unido do que antes”, disse.

1 Comentário

Deixe um Comentário!