Notícias

Aécio Neves foi citado em delação de Delcídio

Aécio Neves foi citado em delação de Delcídio

Aécio Neves foi citado em delação de Delcídio – Foto: Lula Marques/Agência PT

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) citou pelos menos cinco colegas seus do Senado em delação premiada. Entre eles está Aécio Neves (PSDB-MG).

Saiu no Valor:

Renan e Aécio estão entre senadores citados por Delcídio em delação

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) citou pelo menos cinco colegas de Senado em sua delação premiada. Entre eles estão o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e Aécio Neves (PSDB-MG), principal nome da oposição e candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014. A reportagem do “Globo” confirmou a informação junto a pessoas com acesso ao caso. Os outros citados são da cúpula do PMDB no Senado: Romero Jucá (RR), segundo vice-presidente do Senado; Edison Lobão (MA), ex-ministro de Minas e Energia; e Valdir Raupp (RO). Também nesta quarta-feira, o jornal “Folha de S.Paulo” traz que o senador petista citou esses nomes.

Renan, Jucá, Lobão e Raupp já são formalmente investigados em inquéritos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

O Valor já havia reportado na terça-feira que Delcídio citou o nome de vários parlamentares e de outras autoridades como supostamente envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras.

O acordo de delação de Delcídio, firmado junto à Procuradoria Geral da República (PGR), ainda precisa ser homologado pelo STF, mais especificamente pelo ministro relator da Lava-Jato, Teori Zavascki, reportou o Globo. O Valor apontou, por sua vez, que o acordo de delação de Delcídio está atualmente no gabinete do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Ele está promovendo adequações aos termos negociados entre as partes.

O senador petista prestou os depoimentos enquanto esteve preso preventivamente em Brasília. Delcídio, suspeito de obstruir as investigações da Lava-Jato, deixou a prisão em 19 de fevereiro, por decisão de Teori.

A PGR, em dezembro, denunciou o senador ao STF por conta da suspeita de que ele atuou para atrapalhar a delação do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Gravações feitas pelo filho do ex-diretor, Bernardo Cerveró, mostraram a atuação do parlamentar nesse sentido, com referências a atuação junto a ministros do STF, pagamentos a Cerveró e plano de fuga do ex-diretor.

Na delação mantida sob sigilo, Delcídio narrou episódios referentes a colegas de Senado. Sobre Renan, ele confirmou a atuação do deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) em nome do senador. Inquéritos na Lava-Jato apuram essa relação. No caso de Aécio, as citações de Delcídio dizem respeito à atuação do tucano numa Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), cujo detalhamento continua em sigilo. Na semana passada, a revelação pela revista “IstoÉ” de trechos do esboço da delação teve forte repercussão política.

O governo reagiu às acusações envolvendo a presidente Dilma Rousseff. A principal delas é que Dilma nomeou um ministro no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, para tentar obter a liberdade dos donos das empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht.

(…)

***

PS. do Nossa Política: Aécio Neves já foi tão citado quanto os gols que o Brasil levou da Alemanha na Copa de 2014.

Deixe um Comentário!