Notícias

Lindbergh avisa: projeto do Serra é um absurdo

Lindbergh avisa: projeto do Serra é um absurdo

Lindbergh avisa: projeto do Serra é um absurdo – Foto: Reprodução/Ag. Senado

“Estamos muito preocupados com a pauta apresentada pelo presidente do senado”, diz Lindbergh. Projeto pode ser votado amanhã.

E enquanto a mídia estabelece o Lula como alvo inexorável, o José Serra diz que inexorável é alterar o regime de partilha do pré-sal. Para entregar a Petrobras.

Do senador Lindbergh Farias, em seu Facebook:

Em discurso, Lindbergh enumera, explica e pontua as críticas sobre os projetos que constam na pauta do senado. São eles: o PLS 131, que abre brecha para a entrega do pré-sal a preço de banana para as empresas estrangeiras; o PLS 555, chamado de lei de responsabilidade das estatais, que estabelece que todas se transformem em sociedades anônimas, passando a funcionar na dinâmica da busca de lucro ao invés da promoção de políticas públicas; o Banco Central independente, que retira dos governos eleitos a possibilidade de definir a política monetária do país, atentando contra a democracia; e o PRS 84, que propõe um limite global para a dívida da União, significando na prática a política de austeridade permanente, cortando programas sociais, rearticulando a pauta neoliberal e representando um grave retrocesso para o país.

CONTRA A PAUTA NEOLIBERAL, LINDBERGH APRESENTA PROPOSTAS DO BLOCO PROGRESSISTA

Na segunda parte do discurso, Lindbergh apresentou as propostas do bloco progressista do senado. A agenda alternativa ao pacotaço neoliberal contempla a tributação das grandes fortunas, tornando a estrutura tributária mais justa e aumentando a fonte de financiamento da saúde; a tributação de lucros e dividendos, que pode representar um aumento de receita de cerca de R$ 50 bilhões; cobrança de IPVA de jatinhos, helicópteros, lanchas e iates, acabando com a situação absurda onde o proprietário de um carro usado paga mais imposto do que o proprietário de um barco de luxo; a transformação da sonegação fiscal em crime; a redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais e a proteção contra dispensa imotivada, entre outros pontos.

Publicado por Lindbergh Farias em Terça, 16 de fevereiro de 2016


 

2 Comentários

  • Se der a petrobras de graça. E alguém pegar ainda vamos sair no lucro. A exploração refino distribuição tem que privatizar se tiver concorrência preço cai. Parte do governo órgão controladores e cobrança de roits, pois petróleo é dos brasileiros. Governo não cabe vender petróleo. Saúde segurança e educação. Daqui a pouco governo vai querer vender ferro, soja, cimento este não é o papel.

Deixe um Comentário!