Blog do Mailson Ramos

Cunha continua livre: sobre isso não se bate uma panela

Cunha continua livre: sobre isso não se bate uma panela

Cunha continua livre: sobre isso não se bate uma panela – Foto: Alex Ferreira/ Câmara dos Deputados

O processo de cassação de Eduardo Cunha continua como está: parado; protelando na presidência da Câmara ele convoca uma fidelíssima tropa de choque para defendê-lo no Conselho de Ética.

A reunião do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados para analisar o parecer que pede a cassação do mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi suspensa, hoje (24), em razão do início da ordem do dia no plenário.

O processo não anda. A chamada tropa de choque do Cunha realiza tantas manobras que não se sabe aonde chegará esta comissão; não se vislumbra sequer a aprovação do parecer que pede a cassação.

Sorrateiro, Cunha joga para a plateia: diz que o presidente da comissão, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), não resolve a questão porque quer continuar sob os holofotes da mídia.

Ainda ontem (23), o deputado amapaense Vinicius Gurgel (PR-AP), que é aliado de Cunha, afirmou que o colegiado estava virando uma “suruba” e que se tratava de “fachada de igreja e fundo de cabaré”. É o achincalhe geral.

E toda esta defesa promovida pela tropa de choque do Cunha não se encaixa em ideologia alguma; o que move estes deputados a defenderem o presidente da Câmara é a necessidade de sobrevivência num sistema, que como disse o Janot, transformou o parlamento numa banca de negócios.

Está claro que os deputados, ao defenderem o Cunha com unhas e dentes, estão defendendo a própria pele para esconder os malfeitos que também eles cometeram.

O mais engraçado é que isso não provoca panelaços e não atrai a crítica da grande imprensa.

Enquanto isso, a Câmara vai aprovando projetos – assim como em 2015 – que colocam o Brasil num abismo sem fim. Porque os deputados, em sua maioria, não estão interessados em salvar o Brasil da crise. Eles se interessam em dar satisfações às empresas e aos setores que bancaram as suas campanhas.

A sessão de hoje da Comissão de Ética foi esvaziada porque Cunha antecipou as votações para o período da manhã, fazendo com que os deputados, presentes no plenário, não pudessem compor o conselho. Protelando assim ele segue em liberdade. E sobre isso não se bate nenhuma panela.

2 Comentários

Deixe um Comentário!