Notícias

‘Ceará’: PSDB recebeu R$ 10 milhões para abafar CPI

‘Ceará’: PSDB recebeu R$ 10 milhões para abafar CPI

‘Ceará’: PSDB recebeu R$ 10 milhões para abafar CPI – Foto: Reprodução/Uol

Segundo delator, repasse ilegal de R$ 10 milhões teria como destino o PSDB com a intenção de que se abafasse a CPI da Petrobras, em 2009.

Paulo Roberto Costa já havia afirmado; Youssef reiterou. Agora o Carlos Alexandre de Souza Rocha, o ‘Ceará’ sacramenta: Sérgio Guerra, ex-presidente do PSDB, falecido em 2014, teria recebido R$ 10 milhões para “abafar” a CPI da Petrobras, em 2009.

Não para causar reações adversas nos direitistas que navegam neste site, mas é preciso dizer que a propinagem começou há muito tempo e ela não se originou no PT.

O PSDB vai negar que recebeu este dinheiro porque tem também, em sua salvaguarda, o apoio daquele juiz de Curitiba que parece se interessar pelo cargo de ministro da Justiça e já paga as contas da PF.

Porque se a notícia fizesse referência a algum petista, ainda que já falecido, as trupes bem equipadas com seus adjetivos chulos já estariam a postos para comentar.

Se fosse a justiça imparcial exigiria que o tesoureiro do PSDB, em 2009, concedesse explicações bem detalhadas sobre esta história suja, assim como aconteceu com o Vaccari, tesoureiro do PT.

Onde está a voracidade da Lava Jato contra os tucanos?

Confira matéria no Zero Hora:


Novo delator confirma R$ 10 milhões a ex-presidente do PSDB para abafar CPI

O novo delator da Operação Lava-Jato Carlos Alexandre de Souza Rocha, o Ceará, confirmou à Procuradoria-Geral da República o pagamento de R$ 10 milhões ao ex-presidente do PSDB senador Sérgio Guerra (PE) — morto em 2014 — para “abafar” a CPI da Petrobras de 2009, às vésperas do ano das eleições presidenciais em que Dilma Rousseff (PT) chegou ao Palácio do Planalto.

A revelação sobre o repasse milionário ao então número 1 do PSDB foi inicialmente feita em agosto de 2014 pelo primeiro delator da Operação Lava-Jato, engenheiro Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras. Segundo Costa, o dinheiro foi providenciado pela empreiteira Queiroz Galvão. O doleiro Alberto Youssef, que também fez delação, já havia confirmado o pagamento ao PSDB.

O partido nega ter recebido valores ilícitos. A empreiteira reiteradamente tem negado o repasse.

Ceará prestou 19 depoimentos à Procuradoria-Geral da República, entre 29 de junho e 2 de julho de 2015.

No trecho em que fala dos R$ 10 milhões para o PSDB, ele apontou o ex-deputado José Janene (PP/PR), morto em 2010 e apontado como mentor do esquema de propinas na Petrobras.

José Janene falou claramente o seguinte: ‘A CPI terminou em pizza'”.

Segundo Ceará, o ex-deputado do PP era um dos cabeças do esquema de corrupção instalado na Petrobras.

(…)


Deixe um Comentário!