Notícias

FHC recende o aroma do Golpe em 2016

FHC recende o aroma do Golpe em 2016

FHC recende o aroma do Golpe em 2016 – Foto: Igo estrela/PSDB

Em artigo no Estadão, FHC abre espaço para o golpismo também em 2016. Esta história de esperança e votos de dias melhores é conversa para derrubar lagartixa da parede.

Se alguém imagina que a atitude dos golpistas em 2016 será diferente de tudo o que eles tramaram em 2015, está redondamente enganado.

O ano de 2016 começa com a discussão do impeachment sem motivações, mais conhecido como Golpe. E a oposição quer estender este debate até ver o país definhar.

Basta ver que FHC publicou artigo no Estadão replicando aquilo que deve estar na cabeça de todos os outros golpistas.

Sobre os R$ 300 mil do Aécio, na não muito badalada delação de Carlos Alexandre de Souza Rocha, o ‘Ceará’, FHC não disse nada. Aliás, nada disseram os jornalões, nem os aliados do senador de Minas Gerais.

Leia também: Por que a imprensa não repercute os R$ 300 mil de Aécio?

O ‘Príncipe dos Sociólogos’ é o promotor das ideias do Golpe, o mentor, o intelectual.

Ele recende o odor fétido dos golpistas que promoverão em 2016 a mesma bandalheira de 2015. De novo o país ficará estagnado diante da luta política promovida por esta oposição irresponsável.

E o Brasil? E a economia? E o governo? E o andamento das pautas no Congresso?

Isso tudo que se dane!

O que o PSDB quer é encurtar o caminho até as urnas utilizando-se de estratagemas antidemocráticos.


Sinais de preocupação e esperança

(…)

Há sinais de esperança. Comecemos 2016 com ânimo, imaginando que pelo melhor meio disponível (renúncia, retomada da liderança presidencial em novas bases ou, sendo inevitável, impeachment ou nulidade das eleições) encontraremos os caminhos da convergência nacional, respeitando a diversidade de opiniões, propiciando uma vida mais decente para todos, com a retomada do crescimento, a volta do emprego e a reconstrução da política republicana. São os meus votos.


1 Comentário

Deixe um Comentário!