Blog do Mailson Ramos

Aécio Neves: do oportunismo ao entreguismo

Aécio Neves: do oportunismo ao entreguismo

Aécio Neves: do oportunismo ao entreguismo – Fotos: Lula Marques/ Agência PT

Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, Aécio Neves defende o modelo de partilha proposto pelo também senador José Serra. É o oportunismo e o entreguismo dentro da crise.

O artigo de Aécio Neves, na Folha, é um daqueles vergonhosos e típicos atestados de oportunismo da oposição golpista. Sintomática é a posição dele como sabichão. Porque todo o mundo sabe que o preço do petróleo caiu e isto aumenta a crise na Petrobras, como em qualquer outra grande petrolífera.

Mas o que está por trás do artigo do Aécio é a patranha entreguista do PSDB, idealizada não se sabe por quem, mas defendida por José Serra, aquele mesmo do Preciado e da tarja preta.

É somente no final do texto que Aécio expõe a ânsia do entreguismo:


(…)

O caminho para recuperação da Petrobras e seu papel no desenvolvimento nacional não é simples, mas possível. Um bom começo é a discussão no Congresso da proposta do senador José Serra, que propõe mudanças importantes no modelo da partilha, acabando com obrigatoriedades que hoje engessam o bom funcionamento da empresa.


Entregar a Petrobras totalmente ao capital privado é o que tem mobilizado as forças da oposição. Porque por muito pouco o FHC não conseguiu.

A Petrobras teria o mesmo destino da Vale ou pior.

Teríamos o pré-sal explorado por empresas de capital estrangeiro, sob a tutela de um regime de partilha excludente e que restringiria a política de investimentos das receitas da venda do petróleo em saúde e educação.

De patriota o Serra não tem é nada! Muito menos o Aecio. Que interesses os move a propor um novo modelo de partilha? Que interesses movem o PSDB e toda a oposição a entregar a Petrobras de mão beijada às petrolíferas internacionais?

O oportunismo do Aécio se fortalece diante deste judiciário viciado e da mídia golpista que não veem a raiz do problema. Seria um debate muito mais construtivo se todos admitissem os seus erros.

Do Governo FHC até a eclosão da Lava Jato todo mundo passou a mão. Bem disse o Miranda, aquele a quem o Aécio chateou deveras, que todo mundo recebeu propina, seja da oposição, da situação, do meio de campo ou de cima do muro.

E este discurso de que “eles” (o PT) destruíram a Petrobras é só metade da história. A outra metade causa espécie tanto quanto a mais recente, mas agora é momento de fazer soçobrar a famigerada nau petista.

Com a Petrobras e tudo!

Deixe um Comentário!